Nosso Jornal Online

Tatuí, 


quarta-feira, 14 de abril de 2010

POLÍCIA TEM SUSPEITO DE COMANDAR CRIMES NA SAÍDA DE BANCOS


A Polícia Civil identificou, nesta semana, o homem acusado de comandar roubos em saídas de banco em Tatuí. Ele estaria por trás de pelo menos seis crimes praticados contra correntistas, entre os quais o que resultou no latrocínio do comerciante Benedito Barbosa, 71. Trabalho de investigação, comandada pelo delegado titular do município, José Alexandre Garcia Andreucci, aponta que Fabiano Ferreira dos Santos, 31, teria não só planejado todos os roubos, mas participado como coautor.
“Ele foi responsável até pela escolha das vítimas, mas sempre conseguia fugir após os crimes”, revelou o delegado. Com a ajuda de denúncias e testemunhas, os policiais civis do SIG (Setor de Investigações Gerais) conseguiram reunir provas de que Santos também providenciava as armas que seriam utilizadas nos crimes e dava fuga aos comparsas. “O mais difícil para a polícia foi identificá-lo”, disse Andreucci. A razão é que Santos participava dos assaltos mas sempre ficava em uma motocicleta, aguardando para dar fuga. “Ele era protegido pelo anonimato, pois, todas as vezes, estava de capacete”.
Para evitar que suspeitas recaíssem sobre ele, o acusado parava sempre na frente de bares ou estabelecimentos comerciais próximos aos bancos. Dali, aguardava o sinal do comparsa. “Quando o comparsa não agia próximo à agência bancária, Santos perseguia, com ele, a vítima. Caso do comerciante Barbosa, assassinado na frente de sua residência, no dia 2 de março”, afirmou Andreucci.
No dia do crime, Barbosa dirigiu-se até o Bradesco para retirar R$ 4.500. Ele estava na companhia da neta, uma secretária de 24 anos. Na sequência, retornou até sua casa, na vila Fortunato Minghini. Depois de descer do veículo, foi abordado por um homem, até então reconhecido como sendo Carlos Alberto Lopes da Silva, que sacou uma pistola calibre 380. O criminoso teria batido com a arma no queixo do comerciante, pegado o dinheiro, apontado a pistola para a cabeça da vítima e efetuado um disparo à queima-roupa.
Silva, preso em flagrante pela Guarda Civil Municipal, no dia 10 de março, por assalto a uma faxineira, não seria a pessoa que atirou em Barbosa. “Ele participou do crime, mas quem puxou o gatilho foi Santos”, revelou o delegado.
A nova informação foi incluída no inquérito que apura o crime após novo depoimento da neta do comerciante. “Ela reconheceu Santos como o autor”, disse o delegado. O reconhecimento anterior, conforme ele, teria sido feito sob efeito de emoção. “Ela estava abalada e, por isso, se confundiu. Contudo, reconheceu os dois como os criminosos e Santos como o autor dos tiros”.
O acusado tem residência no bairro São Conrado e encontra-se foragido da Justiça. Na semana passada, a PC havia solicitado e cumprido mandado de busca em sua casa. “Ele não foi localizado lá, mas conseguimos apreender toda sua documentação pessoal, inclusive, uma fotografia, já mostrada para testemunhas”, disse o delegado.
A fotografia, cedida pela PC, é reproduzida nesta edição a pedido de Andreucci. “Caso alguém venha a reconhecê-lo, peço que procure imediatamente a Delegacia Central para as formalizações”, afirmou. O objetivo é reforçar o pedido de prisão e evitar que novas pessoas venham a se tornar vítimas.
Transcrito do jornal O Progresso de Tatuí, edição de hoje.

Nenhum comentário:

Postar um comentário