Nosso Jornal Online

Tatuí, 

PUBLICIDADE


segunda-feira, 3 de julho de 2017

Lista de internet veloz traz Tatuí na 47ª posição

Equipe Online - online@jcruzeiro.com.br 

Na avaliação foi considerada a média das velocidades registradas em processos de download - FÁBIO ROGÉRIO

Cinco cidades da Região Metropolitana de Sorocaba (RMS) estão classificadas como portadoras dos sistemas de internet banda larga fixa mais velozes do País. Cerquilho, inclusive, aparece no topo da lista, já na segunda colocação, com uma velocidade média registrada de 26.6 megabits por segundo (Mbps). A avaliação foi realizada pelo site Minha Conexão e levou em conta 18 milhões de testes, feitos pelos usuários, nos últimos três meses. Para o ranqueamento foi considerada a média das velocidades registradas em processos de download. A lista inclui 435 municípios, cada um com, no mínimo, 0,05% de amostras. De acordo com Valdiney Pimenta, CEO do site, isso significa que, ao aparecer na lista, cada cidade teve mais de mil avaliações de acesso no período de um mês. 

Na 34ª posição do ranking aparece Itu, com velocidade média para downloads, oferecida pelas empresas de internet que operam na cidade, de 14.8Mbps. Sorocaba vem logo atrás, na 37ª colocação, com 14.7Mbps. Entre os destaques aparece ainda Tatuí (47ª colocação, com 13.8Mbps) e Itapetininga (100ª colocação, com 11.5Mbps). Somente mais um município da RMS aparece na lista, porém numa posição pior: São Roque, em 261º lugar, com velocidade média de internet fixa em 7.4Mbps. 

Valdinei Castelan, docente da área de Sistemas de Informação (TI) da Esamc Sorocaba, explica que a capacidade de transmitir um maior número de dados por segundo depende diretamente do investimento das empresas, autorizadas a oferecer o serviço, em tecnologia. "No caso da internet fixa, a transmissão de dados é mais rápida que a móvel, pois é baseada em cabos. Se a transmissão é por cabos de fibra ótica, a capacidade é ainda maior." Castelan dá como exemplo a própria cidade de Cerquilho, que não à toa aparece à frente no ranking. Segundo conta, a empresa que oferece o serviço de internet no município investiu no cabeamento de alta qualidade de todo o território. "Acaba sendo mais fácil, para as empresas, investir nessas melhorias em cidades menores." A mesma relação se aplica aos países, já que quanto melhores as condições econômicas, tecnologia disponível e menor o tamanho, maior a qualidade do serviço oferecido. Na Suíça, por exemplo, a velocidade média oferecida gira em torno de 21.7. No Japão, esse índice é de 20.2. No Brasil, em razão principalmente da grande extensão territorial, essa média não passa de 6.8. O campeão desse ranking internacional é a Coreia do Sul, com velocidade média de banda larga de 28.6. 

Com menos amostras avaliadas -- e, portanto, fora do ranking -- outros municípios da RMS aparecem nos testes realizados pelo site. Boituva teve registro de uma média de velocidade de internet banda larga fixa de 13.2 Mbps. Na sequência aparecem Tietê (13 Mbps), Araçoiaba da Serra (13 Mbps), Piedade (12 Mbps), Porto Feliz (11.7 Mbps), Capela do Alto (11.4 Mbps), Salto de Pirapora (11 Mbps), Salto (10.8 Mbps), Ibiúna (8 Mbps), Pilar do Sul (6.8 Mbps) e Votorantim (6.5 Mbps). 

Internet móvel / Numa avaliação da velocidade de internet móvel feita pelo mesmo site, Votorantim -- que aparece com uma qualidade de serviço inferior às demais quando assunto é internet fixa -- surge à frente, com 11.3 Mbps, seguida por Pilar do Sul (10.8 Mbps) e Sorocaba (9.4 Mbps). Foram avaliadas, ainda, pelo sistema Itapetininga (9 Mbps), Tatuí (8.7 Mbps), Capela do Alto (8.6 Mbps), Salto de Pirapora (6.9 Mbps), Porto Feliz e Cerquilho (6.5 Mbps), Boituva (5.9 Mbps) e Araçoiaba da Serra (4.7 Mbps). "A ideia de criar esse sistema partiu de uma necessidade pessoal, quando cheguei a uma cidade e vi que a empresa que eu tinha contratado não era a que oferecia maior velocidade", conta Pimenta. 

Além de ajudar na escolha do melhor fornecedor, os sistemas de medição de velocidade de internet podem ajudar o consumidor a verificar se o pacote adquirido cumpre o que foi prometido. De acordo com Castelan, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) determina que as empresas não precisam oferecer 100% da capacidade negociada durante todo o tempo, mas esse montante não pode ser inferior a 40%. O orgão federal oferece, inclusive, um sistema que ajuda o usuário nessa medição, disponível no site www.brasilbandalarga.com.br. "Todas as vezes que se faz um teste no site da Anatel, as informações são registradas no órgão", explica. (Regina Helena Santos) 

Nenhum comentário:

Postar um comentário