Nosso Jornal Online

Tatuí, 

PUBLICIDADE

ANUNCIE AQUI

Peça já seu orçamento
e-mail para publicidade@diariodetatui.com

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Banda Sinfônica faz estreia de temporada em março, com três gerações de flautistas

Edson Beltrami, Otávio Blóes e Ariane Roseiro são solistas convidados no concerto de 11 de março


A Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí agendou para o dia 11 de março a abertura oficial de sua temporada artística deste ano de 2017. Na data, um sábado, a partir das 20h, o grupo apresenta-se sob regência de Dario Sotelo e com a participação especial de três dos mais importantes flautistas da atualidade.

A estreia de temporada carrega um significado importante para a história tanto da Banda Sinfônica quanto do Conservatório de Tatuí. Os três solistas especialmente convidados representam três diferentes gerações de alunos formados pela instituição, uma das mais importantes escolas de música, luteria e artes cênicas da América Latina. Coincidentemente, Edson Beltrami foi professor de Otávio Blóes que, por sua vez, é responsável pela formação de Ariane Roseiro.

“Os três flautistas, que são profissionais reconhecidos, farão participação especialíssima na obra ‘Fantasia para 3 Flautas’, de autoria de Edson Beltrami. Pessoalmente, sinto uma satisfação enorme em reger a obra, tendo esses três flautistas como solistas. Edson Beltrami foi meu colega de estudos, Otávio atuou por longos anos junto à Banda Sinfônica e Ariane é nossa mais recente aquisição no grupo. Todos, grandes amigos e profissionais que muito respeito”, enfatizou o regente Dario Sotelo.

Além da composição assinada por Edson Beltrami, a Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí apresentará obras de David Maslanka (Mother Earth – Fanfarra), Edmundo Villani-Côrtes (Suite Estados d’Alma, em quatro movimentos), Dwayne Milburn (Fantasy on American Folk Songs) e Arturo Marques (Conga Del Fuego Nuevo).

A Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí é formada por alunos e professores da instituição, além de receber frequentemente músicos convidados. Fundada em 1992, surgiu a partir de um processo de semiprofissionalização de grupo, dentro da instituição. Até 1996, era a única oportunidade de alunos de níveis avançados interagirem com músicos já profissionais, em apresentações oficiais, propiciando uma troca de experiências entre seus componentes. Primando por repertório eclético, o grupo conta com vida fonográfica ativa. Desde 1995, já gravou dezenas de CDs, inclusive para selos internacionais e um DVD.


Os solistas

Edson Beltrami – Nascido em São Paulo, aos quatro anos de idade já começa seus primeiros estudos musicais com seu pai. Aos seis, em 1971, ingressa no Conservatório de Tatuí, na classe do professor João Dias Carrasqueira. Em 1975 participa da Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí. Participando de concursos desde 1977, recebeu dezenas de prêmios. Atuou como solista nas mais importantes orquestras do país: Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, Orquestra Sinfônica dos Festivais de Inverno de Campos do Jordão (1981 e 82), Orquestra Sinfônica Jovem Municipal de São Paulo, Orquestra Sinfônica da EMP – Piracicaba, Orquestra Sinfônica de Tatuí, Orquestra Sinfônica Jovem de Tatuí, Orquestra Sinfônica da Rádio MEC do Rio de Janeiro, Orquestra Sinfônica de Campinas, Orquestra de Câmera de Fortaleza – Ceará, Camerata Antiqua, Camerata Maksoud de São Paulo – Brasil. Trabalhou com maestros de renome internacional como: Eleazar de Carvalho, Gerard Devos (França), Jamil Maluf, Hans Martin Schneidt (Alemanha), Isaac Karabitchevsky, Diogo Pacheco, Alceu Bochino, Nelson Nilo Hack, Benito Juarez, Kurt Masur e outros. Como solista atuou nos mais importantes palcos do país como: Teatro Municipal de São Paulo, MASP, Teatro Popular do SESI de São Paulo, Teatro Guaíra de Curitiba, Sala Cecília Meireles do Rio de Janeiro, e outros por todo o interior do país. No exterior realizou concertos e recitais em países da América do Sul e Europa. Frequentou a classe de importantes mestres de flauta: Antonio Carlos Carrasqueira, Jean Noel Saghaard, Alexandr Magnin (Suíça), Alain Marion (França), Keith Underwood (USA), Pierre André Vallade (França), e Pierre-Yves Artaud (França). Fazendo parte do corpo docente do Conservatório de Tatuí desde 1981, foi coordenador dos Grupos Infantis de Sopros, coordenador da Área de Sopros, chefe do Departamento Instrumental e professor de composição. Foi criador e organizador das três edições do Encontro Internacional de Flautistas no CDMCC. Foi também criador da Orquestra Sinfônica Jovem do CDMCC, grupo que dirigiu por 20 anos. Em 1995, vence o Prêmio Eldorado de Música. Em 1997, é classificado entre os melhores flautistas do mundo no “The 4th International Flute Competition” em Kobe – Japão. Com intensa carreira também como compositor, tem suas obras executadas e gravadas por músicos e orquestras de vários países, como EUA, França, Suíça, Espanha e Rússia. Além disso, suas obras são editadas nos EUA pela DDP Music. É regente, tendo dirigido importantes Orquestras no Brasil e no exterior, incluindo uma série de concertos em 2003 na Suíça, onde atuou também como flautista. Em 2009 participou como professor convidado na Berkley College of Music, em Boston (EUA). Desde 2003 é regularmente convidado como 1ª Flauta da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo – OSESP, com a qual tem participado em concertos regulares, gravações e turnê (EUA). Atualmente, é 1ª Flauta Solo da Orquestra Filarmônica Bachiana de São Paulo. É artista Miyazawa.

Otávio Blóes – é flautista da Banda Sinfônica do Estado de São Paulo e atual coordenador da Área de Sopros – Madeiras do Conservatório de Tatuí, onde também é professor de flauta transversal desde 1997. Pós-graduado em Educação Musical pela Faculdade Paulista de Artes e diplomado em flauta transversal pelo Conservatório de Tatuí, atua intensamente nas áreas artística e pedagógica. Durante 20 anos integrou a Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí. Como solista, destacam-se as execuções dos concertos de Jacques Ibert, Khachaturian e Frigyes Hidas, sob regência dos maestros Daniel Havens (EUA/BRA), Felix Hauswirth (Suíça) e João Maurício Galindo (BRA). Desde 2010 coordena o Encontro Internacional de Madeiras de Orquestra do Conservatório de Tatuí. Em 2015, atuou como solista na Sala São Paulo frente à Banda Sinfônica do Estado de São Paulo sob regência do maestro norte americano Shaw Smith.

Ariane Roseiro – Iniciou seus estudos aos cinco anos de idade, tendo aula de musicalização no Conservatório de Tatuí. Aos dez anos, iniciou seus estudos de flauta transversal sendo spalla da “Banda Municipal Ternura Tatuí”. Em 2008 foi aprovada no Conservatório de Tatuí no curso de flauta transversal, tendo aulas com o professor Anselmo Pereira. Participou do Segundo (2010), Terceiro (2012) e Quarto (2014) Encontro Internacional de Madeiras de Orquestras. Em 2011, foi finalista do III Prêmio Incentivo à Música de Câmara e bolsista na área de Educação Musical. Participou também do 2º Curso Internacional de Flautistas na cidade de Itu em 2012, onde estudou com Toninho Carrasqueira, Marcelo Alvarez e Juliano de Arruda Campos. Atuou como solista nesse mesmo ano, em frente à Banda Sinfônica Jovem do Conservatório de Tatuí e participou como aluna convidada do Projeto Música Orquestral Alemã, sob regência do maestro Felix Krieger. Tocou na Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí, sob a regência de Dario Sotelo e Mark Whitlock (2013) e na Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí, sob regência do maestro João Maurício Galindo (2014). Em 2014, cursou primeiro ano de Bacharel na Unesp, tendo aula com Sarah Hornsby. Formada pelo Curso Técnico em parceria do Conservatório de Tatuí com o Centro Paula Souza. Chefe de naipe da Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí, cursando aperfeiçoamento na mesma instituição com o professor Otávio Blóes.

O maestro

Dario Sotelo – Formado em piano, violino e viola, é mestre em regência orquestral pela City University (Londres), como aluno de Ezra Rachlin, um dos discípulos de Fritz Reiner. Foi coordenador da área de cordas do Conservatório de Tatuí, reestruturando os programas dos cursos dos instrumentos de cordas, integrando-o às atividades de música de câmara e orquestra, em níveis equiparados. Criou e estabeleceu orquestras jovens em Tatuí, Belo Horizonte e São Paulo. Por meio do Conservatório de Tatuí, realizou várias encomendas e estreias mundiais a compositores brasileiros, como a ópera “A Peste e o Intrigante”, de Mario Ficarelli; “Cantata de Natal”, de Ernest Mahler; e “Sonho de Uma Noite de Verão”, de Edson Beltrami. Após dois anos em Londres (1991-1992), é convidado a assumir a regência da atual Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí e a estabelecer o curso de regência instrumental do Conservatório de Tatuí. De 1998 a 2003, atuou como regente da Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí. Como palestrante e regente convidado participou de dezenas de atividades internacionais, entre elas o Festival de Música Brasileira em Wattwill (Suíça), gravação para a Rádio Estatal Húngara e turnês pelos Estados Unidos e Espanha. Atuou, ainda, como regente e palestrante na Convenção Estadual de Minnesota em Mineápolis, na Universidade de Duluth e na Berklee College of Music, em Boston (EUA). Também como regente atua em vários outros lugares do mundo como Hungria, Austrália, Alemanha, Inglaterra, Espanha, África do Sul, Colombia, Uruguai, Costa Rica, Paraguai, Argentina e Taiwan. No Brasil, atua em cidades como Curitiba, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Blumenau, Caxias do Sul e Porto Alegre, em Festivais como Campos do Jordão e São João Del Rei, Oficina de Música de Curitiba, Festival Sesc-Pelotas e Festival de Inverno de Divinópolis (MG). Estabeleceu a Conferência Ibero-Americana de Compositores, Arranjadores e Regentes de Banda Sinfônica em Tatuí e foi o coordenador geral e artístico nos anos de 2002 e 2004 do IV Congresso Ibero-Americano de Compositores, Arregladores y Directores de Banda Sinfônica e Ensembles, coordenando o evento na cidade de Tenerife (Espanha) em 2008. Desde 1995 coordenou a gravação de nove CDs com a Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí e a Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí, com obras de diversos autores brasileiros. O mais recente foi gravado em 2012, comemorando os 20 anos de existência da Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí. Frente ao grupo, até o momento, realizou 133 estreias mundiais de obras de compositores brasileiros e 106 estreias brasileiras de compositores internacionais. Escreveu vários espetáculos para crianças e jovens, entre eles: “Villa-Lobos encontra Guarnieri”, “A Vinda da Família Real ao Brasil”, “MomoPrecoce”, “Sonho de Criança” e “Stravisnky e seu ballet Petrushka”. Em 2014 atuou como regente convidado do Festival de Música Brasileira da Escola Superior da Cidade de Lubeck-Alemanha, regente convidado da Banda Sinfônica Municipal de Madrid e coordenador do II Seminário Nacional de Regência de Banda, III Semana da Composição para Banda, VIII Curso de Férias e I Concurso Nacional de Composição para Banda. É regente da Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí, Orquestra de Cordas Juvenil e professor de regência instrumental da mesma instituição. É presidente eleito da WASBE.

Sobre o Conservatório de Tatuí – O Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos de Campos de Tatuí é uma instituição do Governo do Estado de São Paulo e Secretaria da Cultura do Estado administrado pela Associação de Amigos do Conservatório de Tatuí. Fundado em 1951, é uma das mais importantes ações na área de cultura no país. Oferece formação profissional em música, luteria e artes cênicas. Sua única extensão fora do município de origem é o Polo do Conservatório de Tatuí em São José do Rio Pardo.

Apoio Cultural – No ano de 2017, o Conservatório de Tatuí orgulha-se em receber apoio cultural da Coop e CCR SPVias.

SERVIÇO
Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí
Dario Sotelo, regência
Data: 11 de março de 2017, sábado
Horário: 20h00
Local: Teatro Procópio Ferreira – Rua São Bento, 415 – Tatuí
Ingressos: R$ 12 (R$ 6 meia entrada)
Informações: (15) 3205-8444

Nenhum comentário:

Postar um comentário