Nosso Jornal Online

Tatuí, 

PUBLICIDADE

ANUNCIE AQUI

Peça já seu orçamento
e-mail para publicidade@diariodetatui.com

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Após queda de ponte, prefeitura sinaliza desvio para motoristas

Sinalização foi realizada na região do Jardim Junqueira, em Tatuí.
Em nota, prefeitura diz que não há data definida para o início das obras.

O Departamento Municipal de Trânsito de Tatuí realizou a sinalização com cones e faixas de interdição ao redor da ponte que desabou na quinta-feira (5) no Jardim Junqueira. De acordo com os motoristas, a ação fez com que diminuísse um pouco o congestionamento registrado logo após a queda da ponte. Porém, eles pedem que a reconstrução seja feita o quanto antes.

Ponte já estava parcialmente interditada desde
dezembro, diz Defesa Civil (Foto: Luana Eid/TV TEM)
“Agora está bem melhor aqui para os motoristas. Mas tem arrumar a ponte o quanto antes. Não tem como a gente ficar sem o acesso”, afirma o motorista Pedro Demartini.

Segundo o subinspetor da Guarda Civil Municipal de Tatuí, Wanderley dos Passos, uma alternativa para entrar na cidade e acessar a avenida Pompeu Reali é através no quilômetro 118 da rodovia Antônio Romano Schincariol (SP-127), onde o motorista acessa trevo e a rua Onze de Agosto.

“Há também a alternativa, para entrar na avenida Pompeu Reali, a última saída, ao lado da concessionária Volkswagen, onde vai entrar para o centro. Estamos sinalizando a região e vamos fazer a sinalização de solo para que o usuário que está com veículo e pedestre possa fazer com segurança”, afirma.

De acordo com a prefeitura, as negociações com o governo do estado para liberação de verba continuam, mas ainda não há data definida para o início das obras nas duas pontes que caíram. Ainda segundo a prefeitura, a Defesa Civil já realizou a vistoria no local e a próxima etapa é a desobstrução do ribeirão com a retirada da estrutura da ponte que deve ter início ainda esta semana.

Queda e obras
A ponte do Jardim Junqueira, que estava parcialmente interditada desde dezembro, caiu após forte chuva atingir o município na terça-feira (3). Considerada uma das principais vias de acesso para o município depois da queda da ponte do bairro Marapé, a prefeitura decretou estado de emergência.

Segundo o engenheiro civil Adalberto Souza Neto, o intenso fluxo de veículos pesados, após a queda da ponte do Marapé, pode ter causado a queda. “Essa mudança no fluxo com cargas pesadas, carros de passeios e o problema com as chuvas podem ter provocado recalque da ponte que está apoiada nos gaviões. Então, ocorre que ela deslocou e veio a ceder. Quando um caminhão passa pela ponte e pisa no freio, isso é descarregado pela fundação. Isso pode gerar um momento que vai desestabilizando a ponte”, explica.

Agora, com apenas uma ponte para acessar a avenida Pompeu Reali e entrar no município, os motoristas afirmam que se preocupam com a estrutura dela. “É difícil, né? Já não tem mais as duas pontes e caminhões estão passando na nova ponte”, ressalta o motorista Paulo Sérgio Garcia.

Com dois acessos interditados, trânsito fica
congestionado (Foto: Reprodução/ TV TEM)

Transtornos
Enquanto a ponte não é reconstruída, muitos motoristas terão que fazer desvios pela cidade. O pedreiro José Celso Alves de Oliveira, por exemplo, estima que terá que gastar 15 minutos a mais no trânsito para ir ao trabalho. “Trabalho no condomínio, eu saio da minha casa e vou ao condomínio. Então era passagem. Agora tenho que ir lá no trevo, fazer o retorno, sair pela Vila Esperança para voltar até aqui”, afirma.

O gerente de um supermercado que fica próximo à ponte, Ednewton Piri, também afirma que terá dificuldades com a interdição. “A gente perdeu o acesso do Centro da cidade e bairros vizinhos, já dá para notar a ausência de carros no nosso estacionamento. A gente tem medo que caiam as vendas, porque de ontem para hoje caiu um pouco o número de pessoas na loja”, diz.

Sinalização com cones e faixas de interdição é realizada em Tatuí (Foto: Reprodução/TVTEM)

Nenhum comentário:

Postar um comentário