PUBLICIDADE

Boletim de informações COVID-19 n° 200 Tatuí, 14 de agosto de 2020, sexta-feira - 11h

1514 CONFIRMADOS
1420 RECUPERADOS
44 ÓBITOS
81 EM TRATAMENTO
22 HOSPITALIZADOS

Fonte: Prefeitura de Tatuí

domingo, 5 de julho de 2020

Carreata que pede justiça por feminicídio repercute na TV Tem

Crime aconteceu na quarta-feira (24). O homem foi ouvido em audiência de custódia no plantão judicial de Itapetininga e ganhou liberdade provisória.

Por G1 Itapetininga e Região, com copidesque do DT

Carreata homenageou idosa morta pelo marido em Tatuí — Foto: Arquivo Pessoal

04/07/2020 | A TV Tem noticiou neste sábado a carreata realizada em Tatuí na quinta-feira (2), em homenageou à idosa de 72 anos que morreu após ser agredida pelo marido.

Os veículos percorreram algumas ruas da cidade para pedir pela prisão do suspeito. O ato pacífico saiu da estação ferroviária, seguindo pela avenida Firmo Vieira, subiu a rua Onze de Agosto, passando pela rua Juvenal de Campos, desceu pela Quinze de Novembro, retornando ao ponto de partida. .

O crime aconteceu na casa do casal, no Jardim Santa Cruz. A polícia e equipes de resgate foram chamadas e fizeram o atendimento à mulher no dia da agressão, ocorrida no dia 24 de junho.

O homem, de 52 anos, foi ouvido e indiciado por tentativa de homicídio e encaminhado para audiência de custódia no Plantão Judicial em Itapetininga, onde ganhou liberdade provisória. Com a morte da mulher, um novo boletim foi lavrado como homicídio consumado.

De acordo com informações do boletim de ocorrência, vizinhos do casal acionaram a polícia após ouvirem gritos por socorro. À polícia, eles informaram que foram recebidos com agressões e tiveram um carro e uma moto depredados pelo homem.

Os vizinhos foram levados ao pronto-socorro da cidade, onde passaram por exames de corpo de delito. Já a idosa, que sofreu fraturas no braço e um traumatismo craniano, precisou ser internada em estado grave e não resistiu aos ferimentos.

Durante a semana, a Polícia Civil esteve na casa do casal para perícia e ficou sabendo que ele deixou a residência e tomou rumo ignorado, desobedecendo ordem judicial.

O outro lado

Ainda conforme o boletim de ocorrência, o suspeito alegou que a esposa tinha depressão, fazia uso de medicamentos controlados e, após ele dizer que "ficaria na dele", a mulher teria se atirado pela janela do quarto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PUBLICIDADE