Nosso Jornal Online

Tatuí, 


segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Suspeita de obrigar filha a fazer sexo sofre ameaças de morte, diz Conselho

Casa do idoso que abrigava mulher e filha é suja, diz órgão
 (Foto: Divulgação/ Conselho Tutelar Tatuí)
'Me contou que os vizinhos estão a ameaçando', conta Fabiana Campos.
Mulher foi presa em Tatuí, mas pagou fiança; três homens são suspeitos.


A mulher de 47 anos suspeita de obrigar a filha, de 12 anos, a fazer sexo com três homens de 71, 46 e 37 anos por vantagens financeiras e moradia tem recebido ameaças de morte, afirma o Conselho Tutelar em Tatuí. “Ela me contou que alguns vizinhos a estão ameaçando”, diz a conselheira tutelar Fabiana Cristina Campos nesta segunda-feira (12).

Além da informação dada pela suspeita, Fabiana também confirmou pessoalmente uma tensão entre vizinhos e a mulher nesta segunda-feira. “Acompanhei uma equipe de televisão em uma entrevista e durante a conversa nós ouvíamos gritos de vizinhos com xingamentos. Quando o ‘cerco’ começou a fechar e a situação ficar tensa, todos fomos embora e orientamos a mãe a registrar o caso na polícia ou Guarda Civil Municipal (GCM).”

Destinos de mãe e filha
A mulher, segundo o Conselho Tutelar, foi presa no dia do registro na polícia, na sexta-feira (9). Ela foi presa pelo crime de abandono de incapaz, já que deixava a criança sozinha na casa com o idoso durante o dia, conclui o órgão. A suspeita foi liberada depois de pagar fiança de R$ 5 mil, dinheiro dado por familiares, informa o Conselho.

“Ela nos falou que tem outros três filhos: uma moça de 22 anos casada; um jovem de 19 anos que está amasiado; e um adolescente de 15 anos que ela disse ter dado a uma parente por falta de condições. A delegada já foi avisada sobre eles, então, talvez eles também falem”, comenta a conselheira.

Já a garota foi levada a um abrigo municipal e terá o destino avaliado pela Vara de Infância e Juventude após as investigações. Na terça-feira (13) fará exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML) e também de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs).

“Ao contar para a gente o que acontecia, ela (menina) estava muito nervosa. Disse que era obrigada a fazer sexo oral, vaginal e anal com os homens, tudo sem camisinha. Que os homens davam coisas para ela, como um celular que recebeu do idoso, mas que ficavam com a mãe. A suspeita é grande, já que até os documentos da menina ficavam na carteira do idoso”, revela Fabiana.


Entenda o caso
A denúncia ocorreu na sexta-feira (9) quando a conselheira trabalhava com outra família perto do local, no Bairro Novo Horizonte, e recebeu informações sobre a suspeita. Fabiana e uma equipe da GCM foram ao local, conversaram com mãe, o suspeito de 71 anos e a menina.

A garota afirmou à conselheira que os estupros aconteciam há três meses, desde julho, quando ela e a mãe se mudaram para a casa do idoso e de um companheiro da mulher, irmão do idoso. “Como a casa era do idoso, talvez tanto a mãe como a filha foram obrigadas a fazer sexo para ficar lá”, afirma o presidente do Conselho Tutelar, Luiz dos Santos Netto.

As suspeitas de estupro serão investigadas e tantos os homens como a mãe podem ser acusados. A mulher também pode responder na Justiça por abandono intelectual, já que teria tirado a menina da escola, e também pelos estupros.

No dia do registro, os homens de 71 e 46 anos prestaram depoimento e negaram as versões da criança. Já o outro homem, de 37 anos, já está preso por crime de estupro de vulnerável e ainda não falou sobre o caso

Só pedia por banho
De acordo com a conselheira Fabiana, a menina contou que estava há cinco dias sem tomar banho, sem alimentação adequada e cheia de piolhos. “A casa era muito suja”, afirma.

O presidente do Conselho ressalta ainda que a menina tinha a aparência debilitada e só pedia banho durante a conversa. "A cada momento ela parava para perguntar se podia tomar banho. Além da infestação de piolhos, as unhas estavam compridas e sujas. Me parece que há uma falta de estrutura familiar desde a juventude dessa mãe, já que ela expõe a própria filha a tais riscos”, afirma Santos Netto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário