Boletim de informações COVID-19 n° 272 Tatuí, 25 de outubro de 2020, domingo - 13h00h

3123 CASOS CONFIRMADOS
2992 PACIENTES RECUPERADOS
76 ÓBITOS CONFIRMADOS
55 INFECTADOS EM TRATAMENTO
9,28 INFECTADOS / DIA

Fonte: Prefeitura de Tatuí

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Prefeitura de Tatuí inicia revitalização do Pronto Socorro

Reestruturação será acompanhada de campanha informativa e nova gestão de atendimento

A Prefeitura de Tatuí iniciou esta semana a reestruturação do Pronto Socorro Municipal. As obras foram iniciadas já na segunda-feira, 25, imediatamente após o encerramento do processo de licitação. O objetivo é recuperar as áreas danificadas, melhorar as instalações e acomodações, propiciando maior conforto e qualidade de atendimento à população, além de condições de trabalho adequadas aos profissionais do setor de saúde.

O memorial descritivo prevê reparos gerais na estrutura de alvenaria, em especial nas fissuras e trincas existentes no prédio, revisão total do telhado, sistema de calhas e escoamento das águas de chuva, chapisco e reboco de paredes, adequação de pisos, rodapés e soleiras, substituição de esquadrias e portas, substituição de maçanetas e fechaduras, revisão de instalações elétricas, hidráulicas e ar-condicionado, adequação de sanitários, além de pintura e substituição de vidros.

A empresa vencedora da concorrência pública é a Cena Construtora e Engenharia Ltda. A previsão para conclusão da obra é de 90 dias.

As melhorias também incluem construção de novos balcões, novo mobiliário e equipamentos que permitirão novo sistema de acolhimento ao público, com maior agilidade e atendimento personalizado. “O Pronto Socorro foi um dos pontos centrais da campanha eleitoral. Por isso, fizemos questão de, já nos primeiros 100 dias de governo, iniciar as obras que servirão como marco para a saúde no município”, explicou o prefeito José Manoel Correa Coelho, Manu.

Já o secretario municipal de Saúde, José Luiz Barusso, lembrou que as mudanças físicas serão desencadeadas com um novo modelo de atendimento. O foco principal é a reorientação dos pacientes que ainda procuram o serviço de urgência e emergência de maneira equivocada. Há uma triagem preliminar realizada no momento em que o paciente chega ao Pronto Socorro. Os casos de urgência são cadastrados como ficha vermelha, os de urgência amarela, e os casos onde não há risco de vida do paciente, como verde. Essa configuração, aplicada em todo país, é que determina a prioridade de atendimento do paciente. “Os tratamentos ambulatoriais devem ser realizados diretamente nos postos de saúde, que estão preparados para atender consultas e ocorrências de menor complexidade”, argumentou.

Parte das medidas de melhorias do PS foi realizada já na primeira quinzena do ano, com o aumento do efetivo médico. Hoje, quatro profissionais atendem diariamente, sendo três no atendimento ambulatorial e um na retaguarda, no amparo aos casos graves, no acompanhamento de pacientes entubados ou que precisam ser transferidos para cirurgia ou para centros médicos de referência. Às segundas-feiras o número de médicos é ainda maior: cinco. “Anteriormente, a escala era inconstante. Por vezes, apenas um ou dois médicos estavam disponíveis. Hoje, conseguimos fortalecer o corpo clínico do Pronto Socorro”, explicou Barusso.

Hoje, não há espera dos pacientes dos casos de emergência, que são atendidos imediatamente. Já os casos de urgência tem tempo médio de 20 minutos. A reestruturação pretende exatamente dar maior agilidade aos casos de menor complexidade e promover ação educativa com o objetivo de reencaminhar o atendimento ambulatorial para as unidades básicas de saúde.

Estudo

Uma análise sobre a gestão de atendimento em 2012 serviu como parâmetro para mudança. Segundo o estudo realizado pela coordenação da Urgência e Emergência do município, mais de 128,5 mil procedimentos foram realizados no ano passado. Porém, 83% deles foram de grau verde, ou seja, poderiam ser realizados fora do PS, nos postos de saúde. Apenas 15% foram enquadrados como atendimento de urgência e 2% como emergência, pouco mais de 11 mil atendimentos. Desse total, 1.445 referem-se a vitimas de acidentes de trânsito, dos quais 59,1% dos casos envolvem motocicletas, 18,9% de carros, 12,5% bicicletas e 6,3% atropelamentos.
Fotografia de Evandro Ananias / Comunicação Tatuí

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PUBLICIDADE