Boletim de informações COVID-19 n° 275 Tatuí, 28 de outubro de 2020, quarta-feira - 11h00h

3151 CASOS CONFIRMADOS
3035 PACIENTES RECUPERADOS
77 ÓBITOS CONFIRMADOS
39 INFECTADOS EM TRATAMENTO
9,71 INFECTADOS / DIA

Fonte: Prefeitura de Tatuí

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Jovens têm menos exposição à violência em Tatuí

Do G1 - Um estudo divulgado na última terça-feira (19) apontou que Tatuí possui baixa exposição de jovens à violência. A pesquisa foi realizada em 283 cidades do país que têm mais de 100 mil habitantes, segundo o Censo Demográfico de 2010.

Todos os municípios são listados de acordo com uma ordem crescente de maior exposição, ou seja, o município com o menor índice é o último da lista. Das 283 cidades que compõem a lista, Tatuí ficou no posto de número 205, enquanto Itapetininga ficou situada na 172° posição. Comparadas somente com os municípios do estado de SP, dos 68 municípios com mais de cem mil habitantes, Itapetininga é o 11° e Tatuí, o 21° com maior exposição dos jovens à violência.

Confira os resultados das duas cidades:

Município  Tatuí
Índice total do IVJ   0,239
Indicador de mortalidade por homicídio   0,038
Indicador de mortalidade por acidentes de trânsito    0,263
Indicador de mortalidade comparado à frequência escolar e situação de emprego   0,449
Indicador de pobreza   0,383
Indicador de desigualdade  0,128

Município   Itapetininga     
Índice total do IVJ   0,259
Indicador de mortalidade por homicídio   0,043
Indicador de mortalidade por acidentes de trânsito    0,226
Indicador de mortalidade comparado à frequência escolar e situação de emprego    0,550
Indicador de pobreza   0,391
Indicador de desigualdade  0,170

Sobre a pesquisa
O levantamento chamado de Indicador da Vulnerabilidade Juvenil (IVJ), realizado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) em parceria com o Ministério da Justiça, pretende medir o nível de exposição à violência em que crianças e adolescentes vivem nas grandes cidades do Brasil. O estudo retrata questões que influenciam a vida de jovens de 12 a 29 anos de idade, como por exemplo, desigualdade socioeconômica.

O IVJ soma em uma escala que vai de 0 (melhor resultado possível) a 1 (pior resultado possível) cinco indicadores que mostrem o quanto os jovens são vulneráveis à violência. São contabilizados os indicadores de mortalidade por homicídio, mortalidade por trânsito, mortalidade comparado a frequência à escola e situação de emprego, indicador de pobreza e indicador de desigualdade.

Cidades com resultados de até 0,300 são consideradas de vulnerabilidade baixa; mais de 0,300 a 0,370, vulnerabilidade média-baixa; mais de 0,370 a 0,450, vulnerabilidade média; mais de 0,450 a 0,500, vulnerabilidade alta; e mais de 0,500, vulnerabilidade muito alta.

A fórmula foi criada pela Fundação Seade, de São Paulo, e incorpora dados sobre homicídios e acidentes de trânsito na metodologia do Índice de Homicídios de Adolescentes, desenvolvida pelo Laboratório de Análise da Violência da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ).

Confira a pesquisa completa pelo endereço eletrônico do FBSP.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PUBLICIDADE