Nosso Jornal Online

Tatuí, 


terça-feira, 17 de julho de 2018

Pastor aceita pedido de perdão e Justiça encerra processo contra homem que tentou esfaqueá-lo

Caso aconteceu na igreja O Brasil para Cristo de Tatuí

Por Paola Patriarca, G1 Itapetininga e Região com edição do DT

Cena em que homem tenta esfaquear pastor foi transmitido ao vivo no Facebook

17/07/2018 - A Justiça extinguiu o processo contra o jovem de 26 anos que quase esfaqueou um pastor da igreja O Brasil para Cristo durante um culto no mês de novembro de 2017, em Tatuí. A informação foi confirmada ao G1 nesta segunda-feira (16) pelo advogado do pastor, Douglas Belanga.

Na época, o culto era transmitido ao vivo na página da igreja no Facebook e a transmissão mostrou o momento em que o rapaz subiu no púlpito, e quase esfaqueou o pastor Gétero Augusto de Campos, que na época ocupava cargo de secretário municipal.

Segundo o advogado, o jovem chegou a ser levado à delegacia, onde assinou um termo circunstanciado de lesão corporal tentada. Após seis meses, a representação judicial foi feita e uma audiência com um promotor de Justiça foi marcada no Fórum de Tatuí no mês de abril.

Porém, de acordo com o advogado, durante a audiência o jovem pediu perdão e o pastor Gétero aceitou. Com isso, o processo foi extinto.

“O caso ficou com o Juizado Especial Criminal. Com isso, o perdão aceito é uma causa de extinção de punibilidade. Então, como o jovem pediu e o pastor aceitou, o processo foi extinto”, explicou.

Ao G1, Gétero afirmou que não quis prejudicar o jovem e que perdoou o rapaz. “Eu perdoei ele do fundo do coração. Não quis prejudicar. Eu não tenho nenhum sentimento de raiva, nada”, afirmou.

Ainda segundo o pastor, o jovem, que costumava ir à igreja com sua mãe há 10 anos, não foi mais aos cultos. “Após o ocorrido, já encontrei com ele várias vezes, porque ele mora praticamente nos fundos da igreja. Ele não consegue me cumprimentar olhando nos meus olhos. Sempre quando eu o vejo, ele abaixa a cabeça e fica sem graça”, diz.

O culto era transmitido ao vivo pelo Facebook

A transmissão ao vivo do culto no Facebook registrou o momento em que o pastor quase foi esfaqueado. Nas imagens foi possível ver o momento em que o jovem sobe a escada lateral do púlpito e puxa uma faca da cintura. Com os gritos dos fiéis, o pastor se vira a tempo de ver o homem investindo contra ele com a faca em mãos.

Ele se esquiva e começa a andar para trás, enquanto repete várias vezes: "O sangue de Jesus tem poder". Vários homens sobem no palco e um deles agarra o agressor pela cintura e o derruba no chão.

Alguns internautas deixaram comentários sobre o incidente no vídeo. "Deus é fiel e livra os teus servos do mal. Deus no controle", escreveu um. "Esse culto ficou marcado, mas a glória de Deus prevaleceu", disse outro.

Um diácono sobe no púlpito e agarra do agressor

'Quis testar se Deus é Deus'

Gétero afirmou, na época, que pensou que o jovem estava indo em sua direção armado de revólver. “Na hora que ouvi a gritaria e virei, vi ele puxando algo da cintura. Eu pensei que fosse um revólver e fiquei com medo de morrer, sim. Foi então que os diáconos correram e eu comecei a clamar pelo sangue de Jesus. Aí o homem foi amolecendo e o braço dele foi caindo, até que conseguiram detê-lo”, relata.

homens sobem no palco e um deles agarra o agressor na igreja (Foto: Reprodução/Facebook)

Na época, o pastor disse que o jovem alegou que ficou irritado ao ouvir uma música na igreja e que, por isso, resolveu atacá-lo para "testar se Deus era Deus".

“Depois que os membros da igreja conseguiram detê-lo e a polícia o levou para a delegacia, ele disse que ouviu o louvor que canta que ‘se Deus fizer é Deus e se não fizer, continua sendo Deus’ e ficou irritado porque a mãe dele continua cega. Então, ele alegou que resolveu me esfaquear para ver se Deus era Deus mesmo e quis testar. A ação dele assustou todo mundo. Foi só gritaria. Pânico total”, afirmou Gétero.

Ainda segundo o pastor, o caso serviu para que ele ficasse mais atento. “Foi a primeira vez que aconteceu isso de alguém tentar me esfaquear. Ainda bem que ele não tentou fazer de novo. Mas, assim como aquele jovem entrou com uma faca, alguém pode entrar com um revólver. Então, agora os membros que são diáconos estão mais atentos para evitar que algum estranho suba no púlpito. Tanto que tem um diácono que está ficando na lateral”, ressalta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário