Nosso Jornal Online

Tatuí, 


sexta-feira, 27 de julho de 2018

Núcleo Afro de Tatuí realiza neste sábado evento em comemoração ao Dia Internacional da Mulher Negra


Amanhã, 28 de julho, o Núcleo Afro Feminino de Tatuí (NAF) realizará um evento para comemorar o Dia Internacional da Mulher Negra Latino Americana e Caribenha, celebrado na última quarta-feira (dia 25). As atividades acontecerão na Praça da Matriz de Tatuí, a partir das 13h30.

Com desfiles, pintura facial, dança, capoeira, maculelê, turbante, maquiagem (O Boticário) e muita música, o evento tem o objetivo de evidenciar a luta das mulheres negras, buscando valorizar a cultura afro brasileira e africana.

De acordo com Solange Pantaleão, integrante do NAF, com esse evento, o núcleo busca a aproximação de mulheres negras e de qualquer pessoa que se identifique e respeite a causa. “É um processo colaborativo para disseminação do empoderamento e para a mitigação de qualquer preconceito de raça e gênero”, afirma.

A comemoração está sendo apoiada por diversos comércios da cidade, além da Prefeitura Municipal de Tatuí, por meio da Secretaria de Esporte, Cultura, Turismo, Lazer e Juventude.

História da data

O Dia da Mulher Afro-Latina-Americana e Caribenha foi instituído em julho de 1992, como um marco internacional da luta e resistência da mulher negra no mundo. A data foi instituída no calendário feminista no 1º Encontro de Mulheres Afro-latino-americanas e Afro-caribenhas, que aconteceu em 1992, na República Dominicana.

Em abril de 2014, a Câmara dos Deputados aprovou a proposta do Senado que institui o dia 25 de julho como Dia Nacional de Tereza de Benguela e da Mulher Negra (Lei nº 12.987/2014).

Tereza de Benguela é considerada uma grande guerreira mato-grossense e símbolo da resistência negra no Brasil colonial. Uma liderança quilombola que viveu no século XVIII, companheira de José Piolho, que chefiava o Quilombo do Quariterê, nos arredores de Vila Bela da Santíssima Trindade, Mato Grosso.

Quando José Piolho morreu, Tereza assumiu o comando daquela comunidade quilombola e liderou levantes de negros e índios em busca da liberdade revelando-se uma grande líder.

Apesar da pouca representatividade na história oficial do país, Tereza é comparada ao líder negro Zumbi dos Palmares, a Rainha do Pantanal do período colonial. Sobreviveu até 1770 e não se sabe ao certo como morreu, mas morreu lutando.

Fonte: planalto.gov.br (Ascom/Consea)

SERVIÇO
Evento de comemoração ao Dia Internacional da Mulher Negra
Dia: 28 de julho de 2018 (sábado)
Horário: 13h30
Local: Praça da Matriz – centro | Tatuí/SP
Mais informações: (15) 996543385 - Solange

Nenhum comentário:

Postar um comentário