Nosso Jornal Online

Tatuí, 

PUBLICIDADE

ANUNCIE AQUI

Peça já seu orçamento
e-mail para publicidade@diariodetatui.com

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Pacientes com diabetes reclamam da falta de insulina em Tatuí

Secretaria de Saúde informou que houve o atraso do laboratório, mas alega que situação já foi regularizada na última sexta-feira (24).

Por G1 Itapetininga, editado pelo DT

Pacientes com diabetes reclamam que há três semanas não estão conseguindo ter acesso ao medicamento necessário para controlar a doença em Tatuí pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A insulina é essencial para quem tem diabete e é o mínimo para ter uma qualidade de vida.

Em nota, a Secretaria de Saúde confirmou que houve o atraso na distribuição do medicamento, porque está em falta nos laboratórios, porém a situação já foi regularizada na última sexta-feira (24).

A pasta ainda que apenas a insulina de efeito continuo está em falta ainda porque o laboratório que fornece o medicamento informou que esse tipo está em falta no mercado, mas que ele deve chegar até 4 de dezembro.

A estudante Priscila Keren Duarte Pires tem 22 anos, e há 17 toma insulina para controlar a diabetes do tipo 1, que exige injeção do medicamento todos os dias. Então, para não ficar sem, teve que comprar.

“Não recebi a quantia correta que geralmente é fornecida. Eu preciso de três ampolas por mês, mas recebi apenas uma, que dá para pouco mais de uma semana. Não posso ficar sem o remédio, pois começo a passar mal”, explica.

Priscila Keren Duarte Pires tem diabetes tipo 1 e precisa de insulina diariamente em Tatuí (Foto: Reprodução/TV TEM)

A empregada doméstica Dulcinéia Camargo de Barros teve que recorrer a justiça para conseguir uma ordem judicial para conseguir a insulina mensalmente para a filha que tem diabetes.

Porém, conta que nem sempre consegue retirar o medicamento e, por causa disso, acabou usando todo o limite do cartão de crédito para comprar o remédio da filha e conseguir controlar os níveis de açúcar em seu sangue.

“Agora não tenho mais como comprar e se ela ficar sem ela pode morrer. Ela precisa diariamente da insulina de efeito continuo, pois se ficar sem já começa a passar mal, mas agora com meu marido está desempregado não temos mais como comprar”, conta.

Dulcinéia Camargo de Barros teve que recorrer a justiça para conseguir insulina para filha (Foto: Reprodução/TV TEM)

Nenhum comentário:

Postar um comentário