Boletim de informações COVID-19 n° 49 Tatuí, 08 de abril de 2020 - 16h

91
NOTIFICAÇÕES
44
SUSPEITOS
39
DESCARTADOS
8
CONFIRMADOS

Fonte: Prefeitura de Tatuí

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Cresce 40% a busca por celulares na região

Os celulares foram os presentes mais pedidos para o Natal deste ano na região. Segundo o gerente de uma loja do setor em Tatuí, Alexandre Moreira, a procura pelo produto cresceu 40% em relação ao mesmo período do ano passado. Por fim de semana, são vendidos em média 300 aparelhos. O gerente conta que nessa época o pessoal procura muito celular. "Devido a essa grande demanda temos que fazer grandes pedidos de celulares", comenta.

A dona de casa Luiza da Sil Franco explica que as novidades nos aparelhos se multiplicam e, por isso, está em busca de um com mais recursos. “Nós temos que estar preparados, evoluir junto com as mudanças na tecnologia.”

A neta dela, Giovana Franco, de quatro anos, conta que já sabe usar o celular das pessoas da família para assistir desenhos. “Da minha mãe, do meu pai, da minha avó, do meu vô e da minha tia.”

O gerencia de uma loja do setor em Itapetininga conta que o setor de celulares teve aumento de 22% nas vendas, com isso, os fornecedores chegam a ter dificuldades para repôr o estoque. O motorista Alexandre Medrado diz que sempre troca de aparelho. “Preciso estar sempre renovando, se você ficar um ano seu celular já esta velho. Passa para frente e pega uma melhor.”

Nas lojas virtuais a procura pelos aparelhos celulares também é grande. O levantamento de uma consultoria de compras online aponta que entre os dias 15 de novembro e 14 de dezembro deste ano, foram vendidos no país, um milhão e 200 mil celulares pela internet, cerca de 40% a mais do que no mesmo período de 2013, quando foram 870 mil aparelhos.

De acordo com o coordenador do Procon de Tatuí, Adilson Diniz Vaz, o consumidor deve estar atento às compras que são feitas pela internet. caso o consumidor queira devolver o produto tem até sete dias pra isso. “Tem que entrar em contato com o fabricante ou lojista, encaminhar o produto de volta e resguardar com toda a documentação necessária caso não tenha sucesso na reclamação para poder se dirigir aos órgão de defesa do consumidor para resolver a questão."

Já para as compras em lojas físicas, o coordenador do Procon conta que a recomendação muda. “O consumidor que for até a loja, ele não se enquadra no caso do arrependimento ele tem que verificar tudo antes de adquirir o produto. caso o produto apresente defeito ele vai ter que encaminhar para a ciência e após isso efetuar a troca”. 
(Foto: Reprodução/ TV TEM)

Nenhum comentário:

Postar um comentário