Boletim de informações COVID-19 n° 125 Tatuí, 01 de junho de 2020 - 11h

157 CONFIRMADOS
117 RECUPERADOS
10 ÓBITOS
21 SUSPEITOS
1 ÓBITOS SUSPEITOS

Fonte: Prefeitura de Tatuí

terça-feira, 18 de agosto de 2015

‘Mexeram com elas’, diz apicultor sobre ataque de abelhas em Tatuí

Insetos deram 100 picadas em idoso de 87 anos que está na UTI.
Outras quatro pessoas também ficaram feridas e um cão morreu.

Do G1 - O ataque de um enxame de abelhas a cinco pessoas em uma rua em Tatuí, na segunda-feira (17), “foi causado porque alguém mexeu com elas”, diz o apicultor Válter Vieira. O idoso Antônio Madureira, de 87 anos, levou cerca de 100 picadas e teve ferimentos graves com o ataque. O aposentado está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da Santa Casa da cidade, mas deve ter alta em breve, diz a família.

Colmeia ficava debaixo de viaduto e foi tirada na segunda-feira (Foto: Reprodução/ TV TEM)

Vieira é representante da Associação de Apicultores da região de Itapetininga (SP), e esteve no local do acidente na tarde desta terça-feira (18) para explicar aos moradores o motivo das picadas. “As abelhas tendem a defender o ninho, a rainha e suas crias. Elas têm um raio de ação para atacar, quando se sentem ameaçadas, de mais ou menos 100 metros”, afirma.

A colmeia foi encontrada debaixo de um viaduto na Vila Santa Luzia, perto da rua onde o acidente ocorreu. Os bombeiros retiraram o ninho das abelhas na noite de segunda, horas depois do ataque. Nesta terça ainda restavam alguns insetos no local, e a equipe orientou os vizinhos a como reagir em caso de novo ataque.

O ataque
Com a passagem do enxame cinco pessoas e um cão ficaram feridos e um cão foi morto. O vendedor Denilson Silva Rodrigues foi uma das pessoas picadas pelos insetos. “Eu vi logo o começo dos ataques, porque o carteiro veio deixar uma encomenda e logo foi atacado. Ele não conseguiu ficar perto e saiu correndo. Aí elas vieram em cima de mim então corri para minha casa e liguei para os bombeiros.”

A instrutora de autoescola Neusa Madureira é filha do aposentado Antônio Madureira, e conta que o pai começou a ser picado quando saiu na frente da casa para levar o lixo. Depois do ataque foi socorrido e levado ao hospital da cidade. “Lá dentro da casa as abelhas o seguiram. Ele colocou um pano no rosto e as picadas foram no corpo, porque o rosto ficou protegido”, conta.

Apicultor (esquerda) explicou a moradores o motivo do ataque (Foto: Reprodução/ TV TEM)

Nenhum comentário:

Postar um comentário