Nosso Jornal Online

Tatuí, 

PUBLICIDADE

ANUNCIE AQUI

Peça já seu orçamento
e-mail para publicidade@diariodetatui.com

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Pacientes reclamam de cirurgias desmarcadas na Santa Casa

Moradores afirmam que médicos estão sem receber há meses e que só farão cirurgias emergenciais. Em nota, Santa Casa alegou que cirurgias eletivas estão sendo feitas normalmente.G1 Itapetininga e Região

Pacientes reclamam que cirurgias estão sendo desmarcadas na Santa Casa de Tatuí
Moradores de Tatuí que estão aguardando cirurgias na Santa Casa reclamam que, desde o início da semana, procedimentos que estavam agendados foram desmarcados e não há previsão de quando serão reagendados. Segundo eles, os próprios médicos admitem que não vão realizar cirurgias que não sejam emergenciais porque estão sem receber há seis meses.

Em nota, a Santa Casa afirma que não existe greve e que nesta quarta-feira (20) foram realizadas 12 cirurgias eletivas. O hospital afirma que os salários dos médicos estão em dia e que apenas o “Prêmio Incentivo” dos meses de junho a agosto, que é dado aos médicos que fazem cirurgias eletivas, estão em atraso. Contudo, o pagamento será feito ainda nesta quinta-feira (21).

Já a prefeitura disse que existem três convênios com o hospital e que R$ 2,2 milhões são repassados mensalmente a Santa Casa. Ressaltou ainda que esses valores são repassados sem atraso.

A TV TEM entrou em contato com o sindicado dos Médicos, mas o órgão não se posicionou sobre a greve relatada pelos pacientes.

Pacientes de Santa Casa aguardam cirurgias eletivas (Foto: Reprodução/TV TEM)
O borracheiro João Maria Gabriel conta que tem hérnia umbilical e que está desde maio aguardando para fazer uma cirurgia. Enquanto isto, por orientação médica, não pode trabalhar.

“Eu não posso fazer esforço. Porém, eu não posso ficar parado. Eu tenho que trabalhar. O problema é que trabalho em uma borracharia com caminhões. Então, exige muita força e se eu faço qualquer esforço dói muito”, comenta.
Segundo Daiane Aparecida Gabriel Lemes, que é filha de João, os médicos disseram que não estão fazendo cirurgia, pois faz seis meses que não recebem o salário.

“Levei meu pai no pronto-socorro. O médico o avaliou, mas disse que não poderia operá-lo, pois estão em greve e que já faz seis meses que não recebem o pagamento”, afirma Daiane.

Borracheiro diz que está parado há um mês esperando por cirurgia (Foto: Reprodução/TV TEM)
Uma moradora, que preferiu não ser identificada, conta que sua filha quebrou o tornozelo no feriado de Independência, porém teve que ficar por oito dias internada até conseguir fazer a cirurgia.

“Ela caiu em uma quinta-feira, porém apenas na segunda é que ela recebeu atendimento de um ortopedista, que avaliou e disse que não tinha previsão para fazer a cirurgia, pois não tinham médicos para fazer”, explica a mãe.

Mãe diz que não tinha médico para fazer cirurgia em sua filha (Foto: Reprodução/TV TEM)
Problemas financeiros
Em maio deste ano, a direção da unidade de saúde informou que estava passando por problemas financeiros. Os médicos do local ficaram por três meses sem receber o pagamento por procedimentos realizados.

A diretoria também afirmou na época, que a crise financeira não consegue ser contida, pois o dinheiro repassado pelo Sistema Único de Saúde (SUS) para manter o hospital estava sendo usado para o pagamento dos funcionários.

A crise financeira da unidade não é recente. Em dezembro do ano passado, os funcionários do hospital entraram em greve pela falta de pagamento de salários, paralisando parte dos atendimentos por um mês.

Somente depois de um acordo com a prefeitura, que se comprometeu a pagar os salários atrasados, é que os funcionários voltaram a trabalhar.

Na época, ficou garantido que seriam repassados para o hospital R$ 9,9 milhões em 12 parcelas. A verba viria do SUS, Governo do Estado e da Prefeitura de Tatuí.

Nenhum comentário:

Postar um comentário