Nosso Jornal Online

Tatuí, 

PUBLICIDADE

ANUNCIE AQUI

Peça já seu orçamento
e-mail para publicidade@diariodetatui.com

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí faz concerto especial em São Paulo

O grupo fará o encerramento do projeto “Fanfarras e Bandas Paulistas”, que deve reunir músicos de todo o Estado no dia 1º de outubro na Avenida Paulista



Grupos musicais de várias cidades do Estado devem se reunir, no próximo domingo, dia 1º de outubro, em São Paulo, para a primeira edição do projeto “Fanfarras e Bandas Paulistas”. A ideia é agitar a Avenida Paulista com um grande desfile e celebrar a primavera com muita música. A Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí terá participação especial no evento e fará o concerto de encerramento na altura da Alameda Rio Claro.

O desfile começa por volta das 10h00, nas imediações da Alameda Campinas e segue sentido Rua da Consolação, até a Alameda Rio Claro. Dez grupos vão desfilar: Banda Marcial Municipal de Itanhaém “Narciso de Oliveira Filho” – BAMIT (Itanhaém), Banda Marcial do Instituto Cultural Santa Isabel (São Paulo), Marching Show Band Dom Paulo Rolim Loureiro (Guarulhos), Banda Marcial Municipal de Bocaina (Bocaina), Banda Marcial da EMEFEM Prof. Alfeu Luiz Gasparini (Ribeirão Preto), Fanfarra Interescolar de Ipaussu – FAIPA (Ipaussu), Fanfarra da Obra Social Dom Bosco (São Paulo), Banda Marcial de Morro Agudo – BAMMA (Morro Agudo), Banda Marcial Municipal de São Sebastião – BAMMUSS (São Sebastião) e Orquestra de Metais Municipal de Santa Isabel (Santa Isabel).

A Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí receberá todas as outras na Alameda Rio Claro, onde fará o concerto especial de encerramento, com a regência de Max Eduardo Ferreira, spalla do grupo, e coordenação do maestro Dario Sotelo. A apresentação começa com a peça “Ocidente e Oriente”, de Camille Saint Saëns. Em seguida, será executada a “Terceira Suíte”, de Alfred Reed.

O clima promete esquentar com “Conga del fuego novo”, de Arturo Marquez, a peça de abertura do espetáculo “Mambos, boleros e chá-chá-chás” e “Três canções tropicais”, que inclui “I – Vereda tropical” (Gonzalo Curiel), “II – La Mucura” (Toño Fuentes) e “III – Cachita” (Miguel Hernández). “Aquellos Ojos Verdes”, de Nino Memendez e “Que rico el mambo”, de Pérez Prado, completam o repertório. Para fechar com chave de ouro, “Aquarela do Brasil”, de Ary Barroso.

De acordo com o secretário da cultura do Estado, José Luiz Penna, a intenção é promover, no próximo ano, um concurso estadual de Fanfarras e Bandas Paulistas. “Queremos estimular a formação de bandas e fanfarras em todo o Estado. Em bairros e cidades, a música sendo compartilhada, sentida e tocada. Vamos, neste ano, dar início ao projeto e reunir grandes fanfarras que darão um colorido especial à entrada da primavera”, afirma.

Max Eduardo Ferreira – Formado no curso regular e no aperfeiçoamento em clarinete no Conservatório de Tatuí, concluiu o curso de graduação em clarinete em 2003, na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) com os professores Nivaldo Orsi e Roberto Pires. Classificou-se em primeiro lugar no processo seletivo de admissão para a Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí, com a qual gravou seis CDs e um DVD e foi solista sob a regência do maestro húngaro Laszlo Marosi.

Como professor de clarinete, atuou no projeto “Pró-Bandas”, no “Festival de Inverno de Campos do Jordão” realizados no núcleo Tatuí, em três edições do Curso de Férias de Tatuí, nos painéis Funarte de Bandas de Música e no programa Coreto Paulista. Escreveu e editou o “Guia Técnico do Clarinetista” em 2007. Atualmente também é professor de música da Prefeitura de Leme-SP, regente da Corporação Musical de Leme e spalla da Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí.

Dario Sotelo – Formado em piano, violino e viola, é mestre em regência orquestral pela City University (Londres), aluno de Ezra Rachlin, um dos discípulos de Fritz Reiner. Foi coordenador da área de cordas do Conservatório de Tatuí, reestruturando os programas dos cursos dos instrumentos de cordas, integrando-o às atividades de música de câmara e orquestra, em níveis equiparados. Criou e estabeleceu orquestras jovens em Tatuí, Belo Horizonte e São Paulo. Após dois anos em Londres (1991-1992), é convidado a assumir a regência da atual Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí e a estabelecer o curso de regência instrumental do Conservatório de Tatuí, áreas das quais é coordenador atualmente.

Desde 1995 coordenou a gravação de nove CDs com a Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí e a Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí. O mais recente foi gravado em 2012 para celebrar os 20 anos de existência da Banda Sinfônica. Frente ao grupo, até o momento, realizou 133 estreias mundiais de obras de compositores brasileiros e 106 estreias brasileiras de compositores internacionais. Além deste grupo, é regente da Orquestra de Cordas Juvenil do Conservatório de Tatuí e da Banda Sinfônica da Escola Municipal de Música de São Paulo.

Escreveu vários espetáculos para crianças e jovens, entre eles: “Villa-Lobos encontra Guarnieri”, “A Vinda da Família Real ao Brasil”, “MomoPrecoce”, “Sonho de Criança”, “Stravisnky e seu ballet Petrushka” e o mais recente, apresentado em setembro deste ano, “Mambos, boleros e chá-chá-chás”, uma superprodução que contou com Banda Sinfônica, Coro de Câmara, Coro Sinfônico Jovem, Cia. de Teatro e bailarinos convidados.

Apoio Cultural – O Conservatório de Tatuí tem apoio cultural de Coop – Cooperativa de Consumo e CCR SPVias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário