Nosso Jornal Online

Tatuí, 

PUBLICIDADE

ANUNCIE AQUI

Peça já seu orçamento
e-mail para publicidade@diariodetatui.com

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Prefeitura rompe contrato com construtora que fazia obras em ponte do Marapé

Construtora abandonou obras na ponte do Marapé, diz secretário de Tatuí.
Empresa responsável informou que não foi comunicada sobre cancelamento.

Do G1 Itapetininga e Região

A Prefeitura de Tatuí rompeu o contrato com a construtora responsável pelas obras da ponte do Marapé que caiu no ano passado devido às fortes chuvas. De acordo com o secretário de governo Luiz Gonzaga Vieira, o contrato foi rompido, pois a empresa abandonou as obras.

'Empresa responsável abandonou a obra', diz secretário (Foto: Reprodução/TV TEM)

“A empresa simplesmente abandonou a obra há 90 dias. Nós fizemos a notificação para que eles retomassem os serviços, esperamos o prazo legal, e como ela não se manifestou, rompemos unilateralmente o contrato”, explica o secretário.

Por telefone, o responsável pela construtora disse que não sabia sobre o cancelamento e que a empresa não foi comunicada oficialmente sobre o caso. Já a Defesa Civil do Estado informou que independente da empresa escolhida para continuar a obra, o processo para liberação de verbas continuará sendo o mesmo.

Ainda de acordo com o secretário, faz quase um ano que a ponte caiu e os serviços realizados pela empresa não chegam a 20%. Ele explica ainda que, como o convênio com o Estado para dar continuidade ao trabalho é feito por licitação, a prefeitura vai ouvir nos próximos dias as outras empresas que também participaram do edital.

“A segunda empresa pela ordem do edital já avaliou as obras e disse que não vai assumir o trabalho. Outras quatro empresas vão ser ouvidas em até 10 dias. E se caso todas desistam, uma nova licitação será realizada”, explica Luiz.

Segundo o secretário, caso haja necessidade de fazer uma nova licitação, a prefeitura vai abrir mão do convênio com o governo estadual para agilizar o processo. “Abriríamos mão do convênio com o Estado para ter agilidade no início das obras. E faríamos isso com recursos próprios arrecadados de impostos municipais”, afirma.

Ponte desabou há quase um ano (Foto: Reprodução/TV TEM)

Prejuízos De acordo com os comerciantes que trabalham no bairro, desde a queda da ponte eles enfrentam crise financeira e alegam prejuízos. “Como os carros não conseguem passar por aqui estamos perdendo muitos clientes, espero que agora, com a trégua das chuvas, as obras continuem”, diz a comerciante Viviane Guimarães Ono.

E quem vive próximo ao local tem medo de que algum acidente possa acontecer. “A gente se preocupa principalmente com as crianças que brincam perto da ponte”, conta a dona de casa Jéssica da Costa.

Ponte foi interditada após queda do muro de contenção (Foto: Reprodução/TV TEM)

Outras pontes Em relação à ponte do Jardim Junqueira que caiu no dai 10 de janeiro, e as pontes do Jardim Paulista e Bairro Colina Verde que foram interditadas, o secretário explica que o decreto de situação de emergência já foi homologado em Brasília (DF).

“Essas pontes são problemas paralelos, elas já estão com o processo na Defesa Civil de São Paulo e no Ministério de Integração Nacional, estamos apenas aguardando a definição do valor que eles vão liberar para dar início as obras” conclui Luiz.

Prefeitura rompeu contrato com construtora que realizava obras (Foto: Reprodução/TV TEM)

Ponte do Jardim Ternura cai após forte chuva em Tatuí (Foto: Vander Maques Junior/TV TEM)

Nenhum comentário:

Postar um comentário