sábado, 13 de fevereiro de 2010

ROVCAN INAUGURA FÁBRICA EM TATUÍ


Inauguração de nova fábrica contou com a presença de presidente da chinesa Hehui
Se depender do entusiasmo de seus investidores – tanto do grupo tatuiano Rontan/FBA como dos chineses da Hehui Sports Protection Group Limited. –, a Rovcan Indústria e Comércio de Capacetes não só atingirá sua meta, como também vai dominar o mercado nacional. A empresa, inaugurada oficialmente na noite de quinta-feira, 4, pode ser considerada modesta em relação ao tamanho - possui área de aproximadamente 5.000 metros quadrados -, mas é gigante nas projeções. Deve produzir, até o final do ano, 250 mil capacetes, com previsão de chegar a um milhão nos próximos dois anos. Também prevê, até 2012, gerar 400 vagas de trabalho.
A Rovcan é o resultado de "joint venture", uma parceria entre o grupo Rontan/FBA, presente no Estado de Minas Gerais e em Miami, nos Estados Unidos, e a gigante chinesa Hehui, proprietária da marca Vcan, a maior fabricante de capacetes do mundo. A Hehui produz em torno de 12 milhões de capacetes por ano, comercializados na América do Norte e Europa. Dessa junção, nasceu a Rovcan, empresa sediada em dois galpões na rua Dervile Gabriel Pereira, entre os números 115 e 173, no Distrito Industrial de Tatuí.
"A parceria surgiu a partir de uma comissão que ficou quase 60 dias na China, chefiada por Márcio Rodrigo de Ângelo", explicou Daniela dos Santos Bolzan, diretora do grupo tatuiano. Segundo ela, a comissão tinha a missão de procurar componentes eletrônicos que pudessem baratear os custos de produção da Rontan Eletrometalúrgica. Nas visitas aos empreendimentos, os executivos do grupo conheceram a Vcan.
"Acho que juntou a fome com a vontade de comer, porque a Vcan também estava buscando vir para o Brasil. Aí, juntaram-se os interesses e o grupo conseguiu ampliar os seus negócios no segmento de segurança", contou Marcos Koschar, diretor-superintendente da Rovcan.
O primeiro contato aconteceu em outubro de 2008. De lá para cá, os investidores foram amadurecendo a ideia e "aparando arestas". "No começo, a negociação foi difícil, porque eles queriam que importássemos os capacetes. Mas, chegamos num consenso, porque nós queríamos gerar empregos. Queríamos uma nova fábrica no Brasil e não apenas só trazer coisas de fora para vender no nosso mercado", afirmou.
Ainda assim, o grupo Rontan/FBA conseguiu formalizar a parceria em tempo recorde. A Rovcan foi fundada no dia 9 de setembro de 2009, a pedido do grupo chinês. "Essa é uma data mágica para eles", contou Koschar. Da assinatura do contrato de parceria até a montagem dos equipamentos da fábrica, os investidores demoraram três meses. As linhas de montagem foram importadas da China, de onde estão vindo, também, parte dos capacetes. Os equipamentos já começaram a ser produzidos na Rovcan, a título de testes, na segunda-feira, 1º.
Para Daniela dos Santos Bolzan, o tempo entre a negociação e a conclusão do projeto é consequência do empenho dos executivos dos dois grupos. "A Vcan é uma empresa muito dinâmica, está presente no mundo todo, e a Rontan também se destaca por sua agilidade nos negócios. Costumamos fazer os estudos de viabilidade com certa rapidez para não estarmos perdendo mercado".
Além da linha de produção e dos espaços administrativos, a Rovcan possui um laboratório de qualidade com equipamentos de última geração. O ambiente é responsabilidade de Spencer Figueiredo, e está funcionando há aproximadamente um mês. "Aqui são feitos os ensaios de conformidade", explicou.
O capacete, por ser um equipamento de segurança, já é certificado pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial). Contudo, sua produção precisa contar com controle de qualidade. "Neste laboratório, fazemos os testes de segurança para certificar que os produtos estão atendendo à norma que rege a área dos capacetes", disse Figueiredo.
O espaço serve tanto para atestar a qualidade como para o desenvolvimento de novos produtos. Cada modelo é submetido a uma bateria de testes que verificam a durabilidade do produto. Os resultados são enviados ao Inmetro, que repete os teste e emite o certificado permitindo a fabricação.
A Rovcan produzirá, em média, 12 modelos de capacetes. "Entre cores e versões, isso vai dar mais ou menos cem variações", disse Figueiredo. Todos os modelos são testados sob condições que vão do calor ao frio extremo, além de simulações de chuvas e colisões.
O foco principal da Rovcan é o mercado interno. Contudo, a empresa está de olho nas exportações, principalmente na América Latina, mercado considerado ainda virgem para o grupo tatuiano. Para tanto, deve contratar, até 2012, aproximadamente 400 empregados. Atualmente, a unidade conta com 40. Para este ano, outros 80 serão chamados. "Nos próximos meses vamos incrementar a linha de produção. Ainda estamos em fase de treinamento e ajuste. Por isso, ao passo em que formos nos ajustando, vamos contratar", disse Koschar.
A construção da Rovcan - na verdade, a adaptação de dois galpões que já existiam – consumiu mais de R$ 3 milhões, com investimento de 60% do grupo Rontan/FBA e 40% do Hehui Sports Protection. O montante é considerado modesto se comparado ao capital da gigante chinesa, que possui indústrias de roupas e acessórios para motociclistas, uma fábrica de peças para motos, um banco mercantil e a maior mina de titânio da República Nacional da China. "Estamos bem de dinheiro", brincou o vice-presidente do grupo Rontan/FBA, na solenidade de inauguração da Rovcan, José Carlos Bolzan.
Em seu discurso, o empresário também destacou o crescimento do grupo sediado em Tatuí. "A Rontan, hoje, é uma empresa internacional, composta pela Rontan matriz, Rontan Minas Gerais, Rontan North America e, em breve, vai inaugurar, em março, uma nova fábrica, com 350 funcionários, de veículos pesados destinados ao mercado agrícola de grandes transportadoras e construtoras", adiantou. O grupo ainda é integrado pela Rontan Telecom e pela FBA (Fundição Brasileira de Alumínio), a maior fundição de alumínio da América Latina.
No que depender do grupo, presidido por João Alberto Bolzan, auxiliado por Antonio Carlos de Ângelo (também vice-presidente), o empreendimento só vai expandir-se. Está nos planos dos executivos transformar a Rovcan também na maior fabricante de capacetes da América do Sul. "Em 2012, ou num futuro bem próximo, a Rovcan atingirá este patamar", afirmou José Carlos Bolzan, que participou do hasteamento das bandeiras junto com João Alberto, Antonio Carlos de Ângelo, o prefeito Luiz Gonzaga Vieira de Camargo e Nihuajie Hehui, presidente da Vcan. As autoridades levantaram as bandeiras do grupo Rontan/FBA, do Estado de São Paulo, do Brasil, da China e de Tatuí, respectivamente.
No ato, acompanhado por autoridades civis e militares, entre as quais a primeira-dama do município, Maria José Vieira de Camargo, o vice-prefeito Luiz Antônio Voss Campos, o presidente da Câmara Municipal, José Tarcísio Ribeiro, e vereadores, houve a execução do Hino do Brasil e da China. "Esta é a primeira vez que se ouve esse hino numa solenidade oficial aqui em nossa cidade. E, por sinal, é um hino muito bonito e muito imponente, como é a China", disse o prefeito.
Gonzaga ainda enalteceu o empreendimento e parabenizou os empresários tatuianos pelo crescimento do grupo, bem como o presidente da Vcan. "Quero cumprimentar Nihuanjie, que acreditou no nosso país e no grupo de empresários sérios, que, com certeza, haverá de fazer uma grande parceria".
O presidente da Vcan, por sua vez, disse que a facilidade de acesso às rodovias foi um fator que pesou na sua decisão de investir em Tatuí. Também afirmou, à reportagem, que espera contribuir com a América Latina trazendo a tecnologia chinesa, especialmente com o Brasil. "Estou muito contente de estar aqui. Os meus sentimentos são iguais ao clima quente de Tatuí", iniciou.
Nihuanjie agradeceu às autoridades de Tatuí e da China e disse que os dois lados facilitaram a cooperação e o desenvolvimento do negócio. "Todo o apoio foi necessário para podermos deslanchar", falou. Agradeceu também às gerencias de ambas as empresas, a Rontan e a Vcan, pelo empenho. "O sucesso dessa fusão é o sucesso de ambas as partes, representando a nossa determinação para que o relacionamento e o desenvolvimento sejam em longo prazo", concluiu.
Ao final dos discursos, o padre Milton de Campos Rocha, pároco da Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição, fez uma benção. Em seguida, houve coquetel

Notícia do site http://www.oprogressodetatui.com.br/

2 comentários:

Michel Rosa disse...

Uma ótima notícia. Tatuí deveria ter uma meta arrojada de trazer 5 novas empresas por ano para a cidade até 2015.

Rubens, parabéns pelo blog, vou indicá-lo.

Michel

bombom.com disse...

Vocês poderiam fornecer o endereço eletrônico da firma para envio de curriculun

Postar um comentário