domingo, 21 de fevereiro de 2010

MULHER AVISA A POLÍCIA: NÃO MORRI!

A dona-de-casa Adilesa Correia Pires dos Santos, 48 anos, não faleceu no domingo passado,14, vítima de facadas, como divulgado em diversas reportagens, inclusive pelo jornal O Progresso de Tatuí, na edição de quinta-feira, 18. A informação foi corrigida pela própria vítima, que prestou depoimento na Delegacia de Defesa da Mulher, na tarde do mesmo dia.

Até então, nem mesmo policiais civis sabiam que Adilesa havia sobrevivido. O suposto homicídio já havia sido incluso, inclusive, na estatística criminal do município, que seria enviada à Secretaria de Segurança Pública do Estado.

Adilesa havia dado entrada no ambulatório em estado grave por volta das 19 horas de domingo,14, depois de levar, segundo a família, 13 facadas - e não 6 como constado nos registros policiais.

O autor do crime seria Miguel Pedro Batista Vieira Campos, 25, ex-companheiro da vítima, preso por uma equipe da Polícia Militar.

A informação errada envolvendo a dona-de-casa surgiu a partir do registro da ocorrência, que dava conta de que teria havido um homicídio qualificado tentado - e não tentativa de homicídio, como costumeiramente é feito nesse tipo de boletim. A suposta morte, contudo, foi confirmada pela Polícia Civil na tarde de quarta-feira, 17, que encaminhou o Boletim para a DDM, na quinta. Adilesa esclareceu o engano à Polícia e foi orientada a entrar em contato com o jornal O Progresso.

Fonte: jornal O Progresso de Tatuí, edição de hoje.

Um comentário:

marta-brito2010 disse...

e tudo mentiora eu n so nenhuma burra vcs que saber

Postar um comentário