Boletim de informações COVID-19 n° 49 Tatuí, 08 de abril de 2020 - 16h

91
NOTIFICAÇÕES
44
SUSPEITOS
39
DESCARTADOS
8
CONFIRMADOS

Fonte: Prefeitura de Tatuí

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2020

Álbum comemora os dez anos do quarteto de saxofones SaxBrasil

Quarteto divulga seis canções de repertório erudito, ainda recente na história do Brasil

Daniela Jacinto, no Cruzeiro do Sul, com edição do DT

O quarteto SaxBrasil é formado por Maikel Morelli (saxofone alto), Giancarlo Medeiros (saxofone barítono), Rafael Migliani (saxofone soprano) e Jonathas Cordeiro (saxofone tenor). Crédito da foto: Pedro Negrão / Divulgação

12/02/2020 | O quarteto de saxofones SaxBrasil realiza nesta sexta-feira, dia 14, o show de lançamento de seu primeiro álbum, que comemora os dez anos de trajetória do grupo. O evento começa às 19h30, no auditório do Instituto Histórico Geográfico e Genealógico de Sorocaba (IHGGS) — Casa Aluísio de Almeida. Já nos dias 15 e 19, as bibliotecas municipais sediarão recitais didáticos com o quarteto.

Resultado de uma década de trabalho, de pesquisa e também do compromisso em formação de plateia para o saxofone clássico brasileiro, o CD “Quarteto de saxofones SaxBrasil — 10 anos” , que conta com apoio da Lei de Incentivo à Cultura de Sorocaba (Linc), reúne seis músicas, sendo quatro delas compostas especialmente para o SaxBrasil — “Três lendas brasileiras”, de Alexandre Travassos; “Fantasia”, de Edson Beltrami; “Quarteto nº 1”, de Douglas Braga; e “Sax Choro Brasil”, de Hudson Nogueira — e duas delas consideradas referência no repertório do saxofone brasileiro: “Mobile”, de Ronaldo Miranda; e “Pau Brasil”, de Liduíno Pitombeira. As músicas serão disponibilizadas nas principais plataformas de streaming, como Deezer e Spotify.

O “sotaque” brasileiro perpassa todo o trabalho, que traz diversidade de estilos, o que reforça a versatilidade da formação. São músicas que fazem parte do repertório do grupo há um bom tempo e o álbum está bem eclético, com choro e canções mais modernas. “No Brasil, um grupo de música de câmara de saxofone erudito completar dez anos não é fácil, então é algo a ser muito comemorado. Esse álbum vem coroar todo o trabalho que a gente vem fazendo. Registrar isso é muito interessante”, afirma Giancarlo Medeiros, que toca saxofone barítono, ao lado de Rafael Migliani (saxofone soprano), Maikel Morelli (saxofone alto) e Jonathas Cordeiro (saxofone tenor).

Música de câmara

Durante seus dez anos de trajetória, o SaxBrasil vem difundindo e fomentando a criação de um repertório brasileiro de música de câmara específico para essa formação, que é inusitada no País e mais comum na Europa, principalmente na França, berço do instrumento. “O sax erudito é recente na história do Brasil. Existem alguns registros de pessoas que tocaram, mas teve fomento maior nos últimos 30 anos, quando o professor Dilson Florêncio foi a Paris, a meca do saxofone erudito. Nós quatro somos discípulos dele”, comenta Giancarlo Medeiros.

Entre as dificuldades enfrentadas por quem se envereda nesse estilo musical, a primeira é conseguir formar um grupo, já que são poucos os que se interessam pelo saxofone erudito. Em seguida, é mantê-lo. “O nosso, cada um mora em uma cidade, é uma luta para conseguir conciliar tudo. A gente investe dinheiro, então fazemos mais por um ideal mesmo, por amar a música, o saxofone”, conta.

Ainda hoje, 30 anos depois do saxofone erudito ter maior divulgação no País, Giancarlo afirma que além de ter poucos quartetos atuando, são raras as oportunidades de estudo oferecidas. Existem talvez uns cinco polos de formação no Brasil todo, um deles em Tatuí. “Os saxofonistas estão isolados, cada um num canto. Acredito que no futuro se expandirá, então a ideia é que a gente deixe um legado, que o nosso trabalho sirva como exemplo para os demais saxofonistas.”

O grupo, que já foi selecionado para participar de encontros de saxofonistas no Brasil e em diversos países como Uruguai, Argentina, Colômbia e México, tendo conquistado o primeiro lugar na 28ª edição do “Concurso Latino Americano Rosa Mística”, assumiu como compromisso levar o saxofone clássico não apenas para salas de concerto e espaços específicos da música clássica, mas também para outros pontos como bibliotecas e escolas públicas. O intuito é, justamente, desmitificar a crença de que a música erudita é elitista e inacessível ao grande público. Pelo contrário, a experiência do quarteto mostra a receptividade de crianças e jovens estudantes para a música clássica. Com apoio da Secretaria de Cultura de Sorocaba (também por meio da Linc), o grupo já fez diversos concertos em escolas, atingindo mais de seis mil alunos.

Bibliotecas recebem recitais didáticos

O projeto atual do SaxBrasil, aprovado pela Lei de Incentivo à Cultura de Sorocaba (Linc), além da gravação do CD e do show de lançamento no IHGGS, também previu a realização de quatro recitais didáticos gratuitos em escolas de Sorocaba.. Dois já foram feitos em outubro nas escolas municipais José Mendes (Vila Almeida) e Professora Maria de Lourdes Martins Martinez (Jd. Santa Bárbara).

Os outros dois recitais didáticos gratuitos já têm data marcada: no próximo sábado, dia 15, às 15h, a apresentação ocorre na Biblioteca Municipal de Sorocaba Jorge Guilherme Senger (rua Ministro Coqueijo Costa, 180, Alto da Boa Vista). Já no dia 19 de fevereiro, quarta-feira, às 19h, na Biblioteca Infantil Renato Sêneca de Sá Fleury (rua da Penha, 673). Nesses recitais didáticos, o repertório trará compositores brasileiros como Ernesto Nazareth, Pixinguinha, Heitor Villa-Lobos, Alexandre Travassos e Liduíno Pitombeira.

Nos recitais didáticos, os integrantes aproveitam a oportunidade para abordar questões históricas da música de câmara, falar sobre os instrumentos usados, as obras apresentadas e os compositores.

O caráter pedagógico do grupo tem tudo a ver com a atuação dos integrantes. Giancarlo, Maikel e Rafael são professores do Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos de Campos, de Tatuí (os três também fazem parte da Banda Sinfônica da instituição, que é uma referência na América Latina) e Jonathas ministra aulas no projeto Guri, mantido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e considerado o maior programa sociocultural brasileiro.

Serviço

No show de lançamento e nos dois recitais didáticos serão distribuídos um total de 40 CDs, por meio de sorteio. O CD também será comercializado por R$ 20 (o interessado pode fazer contato pelo Facebook ou pelo Instagram do grupo). O IHGGS fica na rua Dr. Ruy Barbosa, 84, Além Ponte. A entrada é gratuita. (Daniela Jacinto)

Nenhum comentário:

Postar um comentário