Boletim de informações COVID-19 n° 127 Tatuí, 03 de junho de 2020 - 11h

182 CONFIRMADOS
125 RECUPERADOS
11 ÓBITOS
33 SUSPEITOS
0 ÓBITOS SUSPEITOS

Fonte: Prefeitura de Tatuí

sexta-feira, 15 de maio de 2020

Alunos do Conservatório de Tatuí usam a tecnologia para continuar estudos durante a pandemia

Cerca de 2.200 estudantes da instituição, que oferece mais de 100 cursos de música, estão com as aulas suspensas.

Por G1 Itapetininga e região, com edição do DT

Alunos do conservatório de Tatuí mudam rotina para continuar estudos

15/05/2020 | A rotina do Conservatório de Tatuí, que é referência na América Latina, precisou mudar por conta da pandemia de coronavírus. As aulas presenciais foram suspensas, mas os alunos têm usado a tecnologia para se adaptar à nova rotina.

Daniel Rodolfo Silva Santos é estudante de violão clássico há seis anos no conservatório. Ele afirma que está praticando em casa tudo o que aprendeu. "Em casa é um desafio para manter a atenção e manter o foco. O maior desafio é continuar estudando todos os dias", conta o Daniel.

Natural da Bahia e morando na capital da música por conta dos estudos, Daniel precisou se reinventar usando a música e criatividade. Ele transformou o quarto em um estúdio de gravação e usa as redes sociais para mostrar o trabalho.

"Sempre que tem alguma coisa para melhorar, algum amigo ou até algum professor que acompanha, eles já dão um toque. Quando alguma coisa está legal, eles elogiam. Isso anima a gente", comenta Daniel.

Cerca de 2.200 alunos do conservatório, que oferece mais de 100 cursos de música, estão com as aulas suspensas. A medida foi tomada depois do decreto do estado de SP por conta da pandemia de coronavírus.

"Os professores do Conservatório de Tatuí têm mantido contato com os alunos, dando dicas de estudo e leituras importantes para a formação musical. Além disso, temos feito vídeos com assuntos de interesse teórico como técnicas de instrumento", explica o assessor pedagógico Pedro Persone.

Assim como os alunos, professores também precisaram criar alternativas. Na casa da Dagma Eid, que é professora de violão e outros instrumentos de corda, um dos quartos virou praticamente uma sala de aula.

As aulas são feitas através de videochamadas pelo menos uma vez por semana durante o período de quarentena.

"Conexão é uma questão que atrapalha um pouco. O 'delay' para a música é complicado porque a gente trabalha questões rítmicas, sonoras. A metodologia mudou um pouco. Na sala de aula a gente mais toca música. Nessa metodologia a gente mais fala de música", relata Dragma.

Professora do Conservatório de Tatuí  dá aulas por vídeo chamada — Foto: Reprodução/TV TEM

Fagner Lucas é um dos alunos que está se adaptando à nova realidade e comenta que estar com o professor, pessoalmente, é muito melhor.

"Mas, a internet, com a falta da presença do professor, ajuda bastante. Tirar dúvidas ajuda bastante", finaliza.

Na cidade, o uso de máscaras é obrigatório desde o dia 5 de maio. No último domingo (10), a prefeitura fechou todos os parques e espaços públicos para evitar aglomerações.

"Não só a música, mas a cultura em geral, ajudam a gente a compreender muito da vida e a passar por esse momento e entender que a gente pode olhar e ver o que temos de melhor e o que podemos passar para as pessoas, finaliza Daniel.

Nenhum comentário:

Postar um comentário