Nosso Jornal Online

Tatuí, 


quinta-feira, 1 de novembro de 2018

Banda que reúne jazz e música africana se apresenta no TUM Sound Festival, em Florianópolis, nos dias 3 e 4 de novembro

A Banda é composta por nove integrantes - estudantes da Unicamp, do Conservatório de Tatuí e pelo moçambicano Otis Selimane Remane

Portal da Ilha, com edição do DT

Divulgação/Assessoria de Imprensa

31/10/2018 | The OTIS Project, que nasceu na Unicamp, em Campinas-SP, é liderado pelo moçambicano Otis Remane e tem como proposta apresentar em suas composições autorais novas perspectivas sobre as referências musicais africanas

A banda The OTIS Project, vencedora do Prêmio Novos Talentos do Jazz 2018 e que reúne em seu repertório jazz e música africana, estará nos palcos do TUM Sound Festival nos próximos dias 3 e 4 de novembro. Composto por nove integrantes - estudantes da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), do Conservatório de Tatuí e pelo moçambicano Otis Selimane Remane - a banda dividirá o palco com músicos como João Bosco, Hamilton de Holanda, além de realizar a abertura do show de Sandra de Sá.

O grupo, que nasceu em 2016 na universidade, conta com um repertório autoral e apresenta uma nova estética instrumental aliada aos elementos musicais africanos, em especial de Moçambique, local de origem do líder da banda. “A minha ideia com esse projeto é quebrar esse paradigma de que música africana está somente ligada ao tambor. Há muitos outros elementos, principalmente de Moçambique, e isso possui grande influência em minhas composições”, explica Remane que mora no Brasil desde 2015 quando se mudou para cursar faculdade.

As composições da banda estão norteadas pelo jazz e por tendências modernas de som como Rap, Trapp, Neo Soul entre outras. Há inspirações também de ritmos como a chimurrenga, do centro de Moçambique e que se estende para o Zimbabwe, o kwela da África do Sul, a marrabenta de Moçambique, e ritmos do ocidente e norte africano como o Gnawa, Maghreb, Mangambe e Bikutsi difundidos em países como o Senegal, Marrocos e Argélia.

A apresentação da banda, em Florianópolis, faz parte do prêmio dado aos vencedores do Novos Talentos do Jazz 2018 que irão percorrer outros festivais realizados no país neste e no próximo ano. Para Remane, a participação no TUM Sound Festival é uma oportunidade de apresentar uma proposta musical inovadora. “Este é um momento de entusiasmo, pois há dois anos trabalhamos em uma concepção musical relativamente nova”, afirma. O repertório autoral conta com 12 músicas, sendo apenas uma cantada e as demais instrumentais, e inclui elementos como áudios que refletem à cultura africana.

Entre os projetos da banda está a gravação de um disco com grandes nomes da música brasileira e africana. O grupo também organiza o espetáculo “Tumbuluku”, contemplado pelo edital “Alunos Artistas” da Unicamp e que prevê apresentações nos campus até o final de dezembro.

SOBRE OS INTEGRANTES:

Otis Selimane Remane é baterista, cantor e compositor. É graduando da Unicamp no curso de Percussão Popular. Aos 14 anos começou a se apresentar profissionalmente como músico em Moçambique, tendo trabalhado com vários artistas de renome em seu país como Moreira Chonguiça, Jimmy Dludlu, Isabel Novela, Cheny Wa Gune, Dilon Djindji dentre outros e participado de vários festivais nacionais e internacionais.

Vitor Coelho é graduando em música popular pela Unicamp (bateria) e cursa MPB e Jazz no conservatório de Tatuí, estudante de bateria atua no cenário da música instrumental em Campinas-SP.

Guilherme Marcheto é guitarrista, violonista e compositor. Cursa bacharelado em música popular pela Unicamp, assim como o curso de MPB e Jazz do Conservatório de Tatuí. Já estudou com renomados músicos como Fábio Gouvea, Fábio Leal, Guilherme Fanti, Dauri Silva, entre outros.

Rafael de Andrade Mendes, é baixista. Começou seus estudos no instrumento com o professor André Castro em Artur Nogueira e depois com Gilberto de Syllos. Atualmente é estudante no Conservatório de Tatuí onde estuda com grandes nomes da música instrumental brasileira e atua na cena musical acompanhando músicos, artistas e grupos diversos da Música Pop e Instrumental.

Wendel Silva é pianista. Cursou piano MPB & jazz no conservatório de Tatuí, e o curso técnico de piano erudito no centro profissionalizante em música Walkiria Lima em Macapá-AP. Trabalha em estúdio de gravação na produção de canções e jingles, lecionando o instrumento e se apresentando com diversos projetos musicais.

Giovanni Della Guardia é saxofonista, graduando da Unicamp na modalidade de Sopro Popular. Fez o curso técnico em música (saxofone) no Centro Cultural e Conservatório Integrado, concluindo seus estudos em 2014.

Giovani Loner é trombonista. Participou de diversas gravações com bandas de todo o Brasil. É estudante do Conservatório de Tatuí. Atualmente é aluno bolsista da Big Band, Big Band Jovem e Jazz Combo Jovem do Conservatório. Em 2016 lançou o álbum "Groove na Cabeça" da Freddy Groovers com suas composições, participou dos arranjos e gravações do álbum indicado ao Grammy Latino "Soltasbruxa" da banda Francisco El Hombre, com a qual também participou do Circuito SESC de Artes.

Nicolas Felipe Silva iniciou os estudos de música aos 9 anos. Aos 10, teve o primeiro contato com o saxofone (seu instrumento desde então). Participou da Big Band da Escola de Música do Estado de São Paulo (EMESP), Banda Sinfônica Jovem de Jacareí. É estudante na Unicamp na modalidade bacharel em saxofone, com o professor Celso Veagnoli e atua na cena musical de Campinas, fazendo parte de grupos como The OTIS Project, Cabareto Early Jazz Band e Islan Santos Quinteto.

Adriel Job é percussionista. Possui um enorme estudo na música e percussão afrobrasileira que culminou com a gravação do disco “Quelé”, apoiado pelo Fundo de Investimentos Culturais de Campinas (FICC), em 2011. É criador da “Orquestra de Percussão PAH” no Instituto Padre Haroldo, onde ministrou oficinas dentro do projeto “Aprender Mais”, que trabalha com crianças e adolescentes em situação de risco. Em 2014 foi solista da Orquestra Sinfônica da Unicamp (OSU) a convite do maestro João Carlos Rocha. É fundador da Orquestra de Choro Campineira em 2014.

SERVIÇO:
Apresentações no TUM Sound Festival
03/11/2018, às 18h no Espaço Feira Criativa do TUM – Palco 1
04/11/2018 às 19h no Espaço Beiramar Norte
04/11/2018 Pátio Biergarten - Noites TUM (Encerramento do Festival)

Nenhum comentário:

Postar um comentário