PUBLICIDADE

Boletim de informações COVID-19 n° 189 Tatuí, 03 de agosto de 2020 - 11h

1197 CONFIRMADOS
1135 RECUPERADOS
38 ÓBITOS
74 SUSPEITOS
12 HOSPITALIZADOS

Fonte: Prefeitura de Tatuí

sexta-feira, 30 de setembro de 2016

‘Maratona’ de artes cênicas prevê 50 apresentações gratuitas no Conservatório de Tatuí até dezembro

Oficinas, ensaios abertos e espetáculos de teatro são abertos ao público no teatro Procópio Ferreira e Setor de Artes Cênicas



O setor de artes cênicas do Conservatório de Tatuí promove uma maratona de oficinas, ensaios abertos e apresentações de espetáculos de teatro até o final deste ano. São, ao todo, 50 atividades, todas gratuitas, a serem realizadas no teatro Procópio Ferreira (rua São Bento, 415) e no próprio setor de cênicas (rua 15 de Novembro, 63/65). A coordenação é de Fernanda Mendes.

As ações do mês de outubro iniciam-se na quarta-feira, 5, com apresentação do espetáculo “(In)Cômodo” pelos alunos do curso de aperfeiçoamento , com provocação de João Fabbro. O espetáculo se passa nos diferentes cômodos do prédio (inclusive no banheiro) e é restrito a dez pessoas por sessão, com agendamento prévio. “São questões, inquietações, (in)cômodos nossos (talvez de todos nós). Não os teremos enquanto público, daquele que vai ao teatro e senta em poltronas macias para um deleite passivo da obra. Nosos convidados são visitantes de um nosso universo íntimo, sendo assim, venham preparados para breves deslocamentos”, afirma o elenco. “Não precisam jantar antes do encontro. Ofereceremos alimentos de corpos e almas não dualísticos, mas integrados”, destacam.

As apresentações de “(In)Cômodo, que tem no elenco Iêda Claudia, Jeferson Rodrigues, Maria Taddei, Kaique Evoé e Rogério, serão sempre às 19h30, no setor de Artes Cênicas, nos dias 5, 19 e 26 de outubro; e 9, 16, 23 e 30 de novembro. O agendamento ocorre pelo telefone (15) 3259-1844.

Ainda em outubro, outra atração é a Mostra Téspis de Teatro, com três oficinas e seis espetáculos. A abertura será no dia 6 de outubro, às 20h, com a peça “O Apocalipse ou o Capeta de Caruaru”, de Aldomar Conrado, pela Cia de Teatro do Conservatório de Tatuí, com direção de Dalila Ribeiro e Rogério Vianna, no teatro Procópio Ferreira.

No dia seguinte, às 18h, na Sala Preta do Setor de Artes Cênicas, é a vez de “Sete Crianças Judias”, de Caryl Churchill, pelo Grupo de Teatro da Oficina de Artes de Boituva, com direção de Nathalie Abreu. Ainda na sexta, dia, às 20h, no teatro Procópio Ferreira, será apresentado “Santa Joana do Samba”, texto da Cia 4 Cantos de Quadra, com direção de Benemari Sulivan.

No sábado, 8, às 18h, na Sala Preta do Setor de Artes Cênicas, será apresentado “Mac(H)os”, pela Cia Ímpares, com direção de André Kaires. Já às 20h, no teatro Procópio Ferreira, é a vez de “Devaneios Poéticos em Cenas de Agreste”, de Newton Moreno adaptado por Rose Tureck, pelo Grupo de Pesquisa em Cena.

O encerramento da mostra será no domingo, 9, às 18h, no teatro Procópio Ferreira, do espetáculo “Quem Casa Quer Casa”, de Tatiana Belink, pelo grupo Garagem & Cia, com direção e adaptação de Paulinha Flash.

Após a Mostra Téspis, a maratona de espetáculos segue no dia 13 de outubro, quinta-feira, às 20h, na Sala Preta, com ensaio aberto do espetáculo “A Poética do Começo ou Breves Tentativas Sobre Interrupções”, por alunos do terceiro ano do Curso Teatro Adulto, sob direção de João Fabbro. Os ensaios abertos repetem-se nos mesmos local e horário nos dias 20 e 27 de outubro, e 3, 10, 17 e 24 de novembro.

Em novembro, nos dias 1º e 8, às 20h, na Sala Preta, os alunos do primeiro ano do curso de teatro adulto, sob orientação da professora Adriana Afonso, fazem o primeiro ensaio aberto do trabalho “Teatro de Improviso”.

Nos dias 4 (às 18h), 8 e 22 de novembro (às 15h), alunos da oficina “Música em Cena”, dirigida por Betinho Sodré, apresentam o espetáculo “Espelhos da Paixão”, baseado no texto “Caros Ouvintes”, de Otávio Martins, também na Sala Preta.

O espetáculo “Pequenino Grão de Areia”, de João Falcão, dirigido por André Luiz Camargo e Fernanda Mendes, dos alunos do primeiro ano do curso de teatro juvenil, terá ensaios abertos nos dias 7, 21, e 28 de novembro, sempre às 15h.

Já “Till, a saga de um herói torto”, adaptação do Grupo Galpão da obra de Luís Alberto de Abreu, com direção de André Luiz Camargo e apresentação dos alunos do segundo ano do curso teatro adulto, terá ensaios abertos às 20h, na Sala Preta, nos dias 7, 21 e 28 de novembro.

O espetáculo “O Homem de La Mancha”, de Dale Wasserman, será apresentado pelos alunos do segundo ano do curso de teatro juvenil, sob direção de Erica Pedro e Adriana Afonso. Os ensaios abertos serão às 15h dos dias 9, 16 e 23 de novembro, na Sala Preta.

Já a montagem “Espoleta”, de Marcelo Romagnoli, dirigida por Dalila Ribeiro e Erica Pedro, será apresentado pelos alunos do terceiro ano do curso de teatro juvenil. Os ensaios abertos serão na Sala Preta, às 15h, nos dias 11, 18 e 25 de novembro.

Mostra de Artes Cênicas

A maratona da área encerra o ano com a Mostra de Artes Cênicas, evento no qual toda a produção do setor é apresentada publicamente, de forma gratuita. Com exceção de “(In)Cômodo” e “Espelhos da Paixão”, que terão apresentações no setor de Artes Cênicas, todos os demais espetáculos serão apresentados no teatro Procópio Ferreira, de 30 de novembro a 3 de dezembro.
No dia 30, às 15h, acontece apresentação do espetáculo “Espelhos da Paixão”. No mesmo dia, às 20h, é a vez de “O Apocalipse ou o Capeta de Caruaru”.
No dia 1º de dezembro, às 15h, acontece apresentação do espetáculo “Pequenino Grão de Areia” e, às 20h, de “Borandá” (inspirado no texto “Morte e Vida Severina”, de João Cabral de Melo Neto, com direção de Adriana Afonso, pelos alunos do primeiro ano do curso de teatro adulto).
No dia 2, às 15h, haverá apresentação do espetáculo “O Homem de La Mancha”; às 19h30, de “(In)Cômodo”; e, às 20h, de “Till, a saga de um herói torto”.
No dia 3, às 15h, é a vez de “Espoleta” e, às 20h, de “A Poética do Começo ou Breves Tentativas Sobre Interrupções”.

Apoio Cultural – No ano de 2016, o Conservatório de Tatuí orgulha-se em receber apoio cultural da Coop e CCR SPVias.

SERVIÇO
Maratona de Artes Cênicas
Fernanda Mendes, coordenação
Quando: De 5 de outubro a 5 de dezembro
Vários horários e locais. Entrada franca
Informações: (15) 3205-8444 ou www.conservatoriodetatui.org.br

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Região tem 1,3 mil evasões de pedágio no 1° semestre

Foram 797 ocorrências em Tatuí e 534 em Itapetininga, afirma a polícia.
Vídeos mostram que infratores levantam placas e mudam números com fitas.

Do G1 Itapetininga e Região

As rodovias da região de Tatuí e Itapetininga somam 1,3 mil evasões de pedágio só no primeiro semestre deste ano, conforme dados da Polícia Rodoviária. Na região de Tatuí foram 797 ocorrências, e na região de Itapetininga, 534 evasões. Um caminhoneiro detido este mês, por exemplo, é responsável por não pagar o pedágio quase 200 vezes na região

Praticar o ato ilegal resulta em multa e cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). “É uma infração grave, punível com cinco pontos na CNH e no valor de R$ 127. Então é muito mais caro se ele pagasse o pedágio. Sendo que, na abordagem do veículo, além da constatação da evasão do pedágio será fiscalizado quanto a alguma adulteração na placa ou, de repente, ao dano causado a alguma cancela. Então seria toda uma fiscalização em virtude da abordagem”, afirma o tenente Renê Ribeiro da Silva, da Polícia Rodoviária.

A concessionária que administra as rodovias da região, a CCR SPVias, conta com um sistema de monitoramento para registrar as placas dos veículos que praticam a evasão. Mas, segundo o gestor de atendimento da empresa, Luiz Fernando de Donno, para evitar o pedágio os infratores adotam estratégias como levantar a placa ou usar fitas para adulterar o numeral, o que resulta em novas infrações.

Equipe monitora praças de pedágio para fiscalizar evasões (Foto: Reprodução/ TV TEM)

Segundo Donno, a principal preocupação com os funcionários que atendem o sistema de monitoramento é a fuga em alta velocidade. “Quem utiliza o sistema automático para passar no pedágio, tem que respeitar uma velocidade, uma distância entre os veículos. Tudo isso sendo respeitado o risco é diminuído, mas, de acordo com essa prática de evasão de pedágio, as pessoas utilizam de um excesso de velocidade para passar sem pagar. E é isso que traz o risco para as pessoas que utilizam esse local. Tanto os demais veículos como os funcionários que trabalham nesse local.”

O caminhoneiro José Reinaldo já presenciou motoristas que evadiram do pedágio e garante: o risco de acidente é grande. “No carro que a gente trabalha passa pelo pedágio direto, sem parar. E os carros vão na traseira passam direito, passam no embalo. Se frear, bate, dá acidente”, ressalta.

Caminhoneiro fez quase 200 evasões
Em 22 de novembro, um caminhoneiro de 40 anos foi detido na Rodovia Castello Branco (SP-280) em Boituva (SP) após completar 197 evasões de pedágio na mesma praça de pedágio. A equipe da concessionária e a polícia o monitoravam até que, após a evasão, houve perseguição. A abordagem foi no quilômetro 124 da SP-280.

De acordo com a polícia, o motorista alegou aos policiais que a empresa para a qual trabalha não repassava o valor para fazer os pagamentos. Ele só foi liberado depois de um acordo entre a empresa em que trabalha e a concessionária para quitar a dívida, diz a polícia.

Caminhoneiro fugiu de pedágio 197 vezes, diz polícia (Foto: Reprodução/ TV TEM)

Vera Holtz faz sucesso na internet, mas se recusa a fazer anúncios

A atriz tatuiana Vera Holtz é sucesso nas redes sociais com fotos inusitadas, Vera diz que ela mesma cria o cenário em sua casa e o amigo fotógrafo Renato Santoro tira as fotografias. A criatividade da atriz tem sido curtida, compartilhada e comentada desde julho de 2015, quando Vera publicou uma foto com a legenda "recarregando as baterias", em que ela aparece com a tomada do celular na boca.

Com 690 mil seguidores no Instagram e 486 mil no Facebook, a atriz afirma que várias marcas a procuraram para anunciar em seus perfis, mas que ela recusa todas as propostas. "Minhas fotos são para diversão, nada além disso. O público adora", enfatiza Vera, que pretende futuramente expor uma galeria com as fotos divertidas.

Com informações do UOL

Sesi de Tatuí vai oferecer cursos gratuitos de nutrição em outubro

Cursos vão ensinar receitas com cereais e legumes.
Confira datas e horários dos encontros que vão do dia 4 ao dia 27.

Do G1 Itapetininga e Região

O Sesi de Tatuí promoverá em outubro três cursos sobre nutrição, sendo dois deles gratuitos. Os encontros vão do dia 4 a 27.

O curso Alimente-se Bem, com 50 receitas com cereais e leguminosas, será promovido nos dias 10, 17 e 24 das 18h às 20h. Já as aulas do Alimente-se Bem sobre reaproveitamento integral dos alimentos serão nos dias 4, 11 e 18, das 9h às 11h.

Já o curso de Culinária e Nutrição – Especial Pizza será em 20 e 27 de outubro. As aulas custam R$ 26 para quem não é associado ao Sesi, e R$ 13 para quem é usuário.

As inscrições devem ser feitas no Sesi, que fica na Avenida São Carlos, 900, Vila Doutor Laurindo. Mais informações pelo telefone (15) 3205-7913.

Trombonista reúne convidados especiais em recital de formatura, dia 20/10/2016

Conrado Bruno apresenta-se ao lado de duo e dos grupos Jazz Combo Jovem e Grupo de Choro do Conservatório de Tatuí


O aluno de trombone Conrado Bruno faz apresentação especial como forma de marcar sua conclusão de curso na área de MPB & Jazz do Conservatório de Tatuí. O show será no dia 20 de outubro (quinta-feira), a partir das 19h, no Salão Villa-Lobos (rua São Bento, 415). A entrada é franca.

Com participação especial do duo Bala com Bala e dos grupos Jazz Combo Jovem e Grupo de Choro do Conservatório de Tatuí, o recital tem coordenação de Érica Masson.

Na abertura do recital, o duo Bala com Bala – formado por Conrado Bruno no trombone e José Vicente no violão 7 cordas -, apresenta obras de Pedro Amorim (Cercando o Frango), Abel Ferreira (Chorando Baixinho), Nabor Pires (Malandrinho), Altamiro Carrilho (Sonhando – Esquerdinha na Gafieira) e Garoto (Lamentos do Morro).

Em seguida, junto à Jazz Combo Jovem do Conservatório de Tatuí, orientada por Paulo Malheiros, serão apresentadas obras de Tom Jobim (Triste e Fotografia), Duke Ellington (Setin Doll), Nelson Cavaquinho (Notícia) e Leny Andrade (Estamos Aí).

O Grupo de Choro do Conservatório de Tatuí, coordenado por Alexandre Bauab Junior, faz participação no recital na apresentação das obras Murmurando e Fon Fon (Mário Rossi), Linda Érica (Luiz Americano), Ginga do Mané (Jacob do Bandolim), Ternura (K-Ximbinho) e peça do próprio formando, Maxixando.

Conrado Bruno dedica-se há mais de seis anos ao estudo da música popular. Durante três anos atuou como bolsista do Grupo de Choro do Conservatório de Tatuí, e por outros três como bolsista da Big Band do Conservatório de Tatuí. Trabalhou ao lado de professores como Alexandre Bauab, Altino Toledo, Marcelo Candido, Rodrigo Moura, Alan Palma, Cambé, Sérgio Frigério e Rodrigo Marinônio.

Iniciou seus estudos em 2002 na Banda Marcial do Colégio Liceu Noroeste de Bauru. Em 2009, cursou Educação Musical na Universidade do Sagrado Coração (USC).

Teve a oportunidade de se apresentar ao lado de músicos renomados como Proveta, Humberto Araújo, Jessé Sardoc, Marcelo Martins e Jovino Santos. No festival “Seu Geraldo”, em Leme, tocou junto de Luciana Rabello, Pedro Paes, Aquiles, Proveta, entre outros. Trabalhou também com Zé Luiz do Império Serrano, Isaias do Bandolim e Luizinho 7 Cordas.

Apoio Cultural – No ano de 2016, o Conservatório de Tatuí orgulha-se em receber apoio cultural da Coop e CCR SPVias.

SERVIÇO
Recital de Conclusão de Curso – Trombone MPB & Jazz
Conrado Bruno, trombone
Érica Masson, coordenação
Quando: 20 de outubro, quinta-feira, 19h00
Local: Salão Villa-Lobos – Rua São Bento, 415
Grátis!
Informações: 15 32058444 ou conservatoriodetatui.org.br

Conservatório de Tatuí promove XI Concurso Interno de Piano

Alunos da área de piano clássico poderão competir em duas categorias e diferentes níveis de conhecimento

O Conservatório de Tatuí promove no próximo mês de novembro o XI Concurso Interno de Piano. O concurso, com coordenação de Cristiane Bloes, é voltado exclusivamente a alunos regularmente matriculados na área de piano clássico da instituição.

Organizado com objetivos de incentivar e compartilhar conhecimentos de estudantes de todos os níveis do curso de piano do Conservatório de Tatuí, o concurso acontece nos dias 22 e 23 de novembro, dentro da tradicional Semana da Música.

Os alunos regularmente matriculados poderão participar do concurso nas categorias solo ou duos (4 mãos ou 2 pianos). As inscrições são gratuitas e devem ser feitas de 1º a 30 de outubro, no setor de eventos do Conservatório de Tatuí. São, ao todo, dez níveis na categoria “solo” (do 1º ao 18º semestre e aperfeiçoamento) e três níveis em “duos pianísticos” (básico, intermediário e avançado).

Na categoria “solo”, deverão ser executadas duas obras de livre escolha (de memória) e, na categoria duos, uma peça de livre escolha (pode ser original, transcrição ou arranjo para 2 pianos ou mãos).

O concurso contará somente com uma prova para cada categoria e nível. Todos os participantes receberão certificados e os vencedores de cada nível participarão de recital de encerramento do concurso no dia 24 de novembro, às 20h, no Teatro Procópio Ferreira. Os primeiros colocados também receberão brindes.

As fichas de inscrições estão disponíveis no site conservatoriodetatui.org.br e mais detalhes podem ser obtidos junto ao setor de piano clássico, em horário comercial.

Apoio Cultural – No ano de 2016, o Conservatório de Tatuí orgulha-se em receber apoio cultural da Coop e CCR SPVias.

SERVIÇO
XI Concurso Interno de Piano
Cristiane Bloes, coordenação
Inscrições: 10 a 30 de outubro de 2016
Grátis, somente para alunos.
Informações: (15) 3205-8444 ou www.conservatoriodetatui.org.br

Titular do Brasil, Camargo fala sobre incentivo ao beisebol, carreira e afirma que o “máximo foi dado” no WBC

Vinícius Veiga

SEGUNDA BASE - Um dos jogadores mais veteranos da seleção brasileira de beisebol, o tatuiano Luis Camargo, aos 40 anos, tem muita história para contar no beisebol. O jogador, titular na qualificatória do World Baseball Classic (WBC), tem profundo conhecimento do esporte brasileiro e muitas ideias para fazer com que a modalidade que tanto amamos cresça em território nacional.

Em entrevista exclusiva ao Segunda Base, Camargo falou sobre o beisebol nacional, italiano, iluminação nos campos, participação da seleção no WBC e muito mais. Um bate-papo imperdível.

Como crescer o beisebol no Brasil

É notório o crescimento do beisebol nacional nos últimos anos, e um ponto de partida para perceber tal mudança está no patamar da seleção. A vaga no qualificatório do WBC não foi conseguida, mas em termos de status, a seleção nunca chegou para um torneio desse porte com tamanho respaldo dos adversários. Para Luis, essa é a parte de uma trilha que vem melhorando, e que depende diretamente de incentivo e trabalho entre os jovens.

“Incentivo envolve dinheiro, não só no Brasil, mas em todo lugar do mundo. Agora com essa coisa do COB (volta para o programa Olímpico), acredito que a gente vai conseguir ter uma disponibilidade maior de dinheiro e vamos esperar que isso seja voltado na hora certa.”

De acordo com Luis, um enfoque que o beisebol nacional precisa ter é em relação ao que é feito nos clubes e nas escolas.

“O que é complicado aqui no Brasil é a falta de ligação entre a escola e o clube. O trabalho legal que está sendo feito (na área de educação), são nas universidades. Os universitários têm a liga deles, mas o problema é que o beisebol universitário não gera atleta em alto nível. O beisebol universitário do Brasil está ligado a um hobby, é mais diversão. Existe a competição, óbvio, mas é mais um hobby. Você não consegue formar jogador depois da idade que eles já estão (a partir dos 18 anos). Se pudesse fazer algo parecido com o que acontece nas escolas, mas é complicado.”

Um dos problemas de não conseguir fazer essa ligação entre escola e clube é a falta de material adequado. Luis diz que o pouco material que há no Brasil é voltado para poucos lugares. “Supondo que as crianças conheçam o esporte no SESC, mas depois disso elas têm que procurar um clube. E aí, como funciona a partir disso? Ela vai procurar um time, mas as vezes esse está lotado de jogador e o cara não consegue jogar.

Luis Camargo com a camisa do Rimini (Reprodução)

Na visão de Luis, tudo precisa ser trabalhado em conjunto para otimiza o potencial dos jovens jogadores. “Precisa ser como é feito no Japão, em que se valoriza muito o beisebol colegial e, depois, tem toda ligação com o profissional.”

Para o beisebol profissional, Luis tem uma sugestão muito boa: “Eu bato na tecla que o melhor caminho para os brasileiros, tirando a exceção dos prospectos, seria uma ligação dos jogadores com as universidades colegiais fora do país. Assim, ele teria a condução de jogar lá fora e ser draftado. Mesmo se não profissionalizar, teria uma formação profissional.”

Iluminação dos campos é a chave

Atualmente, não há nenhum campo iluminado no Brasil e isso acaba criando alguns obstáculos que prejudicam o desenvolvimento do beisebol nacional.

“Eu sempre falo que é preciso ter campos iluminados. O Bom Retiro (estádio Mie Nishi), por exemplo, é uma tecla que eu bato sempre. É da cidade de São Paulo, não sei a politica que precisa ser usada para iluminar esse campo, mas seria fundamental. Iluminando esse campo, com certeza você vai ter jogos durante a semana e finais de campeonatos disputadas à noite. Com isso, seria mais fácil para as pessoas assistirem e acompanhar o beisebol.”

Estádio Mie Nishi, em São Paulo

A falta de iluminação no campo acaba criando calendários que não são os adequados com os horários dos jogadores. “Você fazer a final de uma Taça Brasil meio-dia de domingo é complicado. Domingo é um dia que o pessoal quer ficar com a família. Seria muito melhor se a final fosse no sábado à noite, e teria mais público. Além disso, como a maioria dos jogadores trabalham, domingo seria um dia para poder descansar.”

Para ele, a iluminação dos campos seria a solução mais rápida para ajudar a crescer o beisebol no Brasil. “Seria fundamental também para que as pessoas possam, de repente, trabalhar e treinar à noite. Se consequentemente tiver jogo durante a semana, elas também poderiam atuar. Aí poderia juntar com a ideal de uma liga semi-profissional entre empresas, o que o pessoal vem discutindo. Assim, você trabalharia de dia e à noite poderia ter jogo.”

Melhorar o beisebol no Rio de Janeiro

O beisebol do Rio de Janeiro vai ter o suporte da reforma do campo principal após as Olimpíadas, e isso pode ser o começo de coisas melhoras no âmbito carioca. Para Luis, a melhora do beisebol de lá também seria fundamental para outros motivos.

“Pelo beisebol ter voltado para o programa Olímpico, certamente é algo ótimo, uma repercussão muito grande. Com isso, o que também precisa ser feito é melhorar o beisebol no Rio de Janeiro, para assim o esporte ter uma visão maior perto do COB. Consequentemente, teríamos maior incentivo.”

Ótima geração e Eric Pardinho

Se o patamar da seleção cresceu consideravelmente nos últimos quatro anos, isso tem tudo para ter um salto ainda maior no próximo ciclo do WBC. A geração jovem de jogadores brasileiros conta com muitos nomes de destaque no beisebol internacional, como Luiz Gohara, Bo Takahashi e, mais recentemente, Eric Pardinho.

“Quatro anos passa muito rápido, temos que aproveitar (essa geração) e fazer algo muito legal. Tem uma geração muito boa de meninos entre 15 a 18 anos, mais os jogadores que passaram um pouco dessa idade. O Brasil está em uma ótima condição ter uma equipe muito forte para a próxima Olimpíada e WBC.”

Aos 15 anos e com bola rápida de 94 milhas por hora, Luis reconhece o talento de Eric Pardinho como especial e vem dando algumas dicas para o garoto.

“Pardinho é uma grande promessa. Agora ele tem que se cuidar, uma coisa que eu falei muito pra ele é estudar inglês. Ele vai assinar contrato, isso é coisa certa. O moleque tem cabeça boa, os pais ajudam bem. Isso dá tranquilidade para o menino. Com certeza ele vai se dar bem.”

Formação de catchers no Brasil e parceria com a MLB

No elenco da seleção brasileira para a qualificatória do WBC, havia um hiato grande de idade entre os dois principais catchers. Luis, titular, tem 40 anos, enquanto Luis Paz — que atua nas ligas menores do Los Angeles Dodgers —, tem apenas 20. Essa diferença de idade é pautada por algumas explicações.


“É uma coisa um pouco do passado. Todo jogador que aparece com braço forte todo mundo quer que (ele) seja arremessador. Mas acredito que está sendo feito um bom trabalho de formação de receptores. Com a vinda do Elite Camp pra cá, o pessoal passou a dar mais valor pra formação de catchers. Espero que os técnicos continuem com essa mentalidade. As vezes não adianta ter um arremessador bom sem ter um bom catcher pra pegar a bola dele. Tem que pegar jogador com braço que não tenha estatura tão alta, que seja fortinho, e tentar levar esses meninos para receptor. Consequentemente, teria maior desenvolvimento dos nossos arremessadores.”

De acordo com Luis, um catalisador para isso seria Yan Gomes. Primeiro jogador brasileiro a atuar na MLB, ele seria um espelho ideal para os garotos e poderia ajudar como instrutor.

“Tem também o Luis Paz que vai chegar, o Renan Lima e Artur Oliveira (catcher do Brasil no sul-americano). Com esses meninos se destacando, acredito que a molecada vai querer seguir o mesmo caminho. Tudo envolve espelho. É o incentivo da criança ver e querer ser igual aquele cara. Por isso, é importante, como Joe DiMaggio disse, que você precisa dar 100% no campo sempre, porque nunca sabe quem vai te assistir jogar. É uma mentalidade que o beisebolista brasileiro precisa ter.”

Luis também cita que um ponto muito positivo com o crescimento do beisebol nacional tem sido a parceria direta com a MLB, principalmente com a contribuição de Caleb Silva.

“Existe uma parceria da confederação com a MLB muito forte hoje. Caleb Silva vem realizando um trabalho muito importante no brasil e essa parceria com a MLB que está fazendo com que o nosso beisebol seja bem visto lá fora. Até porque o WBC está diretamente ligado com eles. Apesar de não conseguirmos a classificação, a MLB está envolvida com o Brasil. Já em outubro vai ter outra seletiva para o Elite Camp do ano que vem. Muito disso tem a ver com a ponte que o Caleb Silva faz com o beisebol brasileiro.”

Participação do Brasil no qualificatório

Foram duas derrotas por apenas uma corrida de diferença no qualificatório do Brasil. Partidas apertadas, mas que não foram como a seleção desejou. Para Luis, a o máximo foi dado na competição. “Não deu, mas voltamos para casa tranquilo e sabendo que o máximo foi dado.”

Para ele, um pouco de azar tomou conta da seleção nas duas derrotas. “O jogo infelizmente não foi como a gente imaginou, aconteceu tudo ao contrário, não conseguimos rebater na hora decisiva. O beisebol é assim, as vezes você dá três pancadas na luva do defensor. As vezes você dá uma rebatida com o taco quebrado e anota a corrida. Faltou essa rebatida com o taco quebrado para cair como bola válida para a gente ganhar os jogos.”

Durante a competição, o Brasil teve apenas três rebatidas com homens em posição de anotar corrida, o que certamente é o efeito de uma amostra pequena — em larga escala de jogos, essa média baixa não seria sustentável.

40 anos e planos para aposentadoria

Com uma carreira de vasta experiência internacional, Camargo representa representação há duas décadas. Já jogou no Japão, Brasil e há 10 anos está no beisebol italiano. Na posição de catcher, que é a mais desgastante entre os rebatedores, chega uma hora que o corpo pede a conta.

“Infelizmente cheguei aos 40 anos. Graças a deus consegui chegar com a boa forma, mas chegou a hora de dar um basta, ficar com a minha família. Não sei se a Itália vai me oferecer alguma coisa, mas o beisebol italiano mudou bastante, não é mais um lugar onde você pode tentar ganhar algum dinheiro. Tenho que pensar que o que vai ser melhor pra minha família e pra mim daqui pra frente.”

Luis Camargo com a seleção brasileira (Reprodução Facebook)

Para Luis, o grande problema de chegar nessa idade é o trabalho exigente para atuar em alto nível. “Se for para jogar de qualquer jeito ainda dá, mas não quero isso. A posição de catcher exige demais.”

O catcher disse que o objetivo era parar em março do ano que vem, após o WBC. Mas como o Brasil não conseguiu a classificação, ele tem a ideia de parar após o campeonato sul-americano. “Talvez encerrar a carreira com um título com a seleção.”

Beisebol italiano e crise financeira

Luis é um conhecido de longa data do beisebol italiano. Joga no país desde 2006, e também chegou a representar a camisa da seleção italiana na Copa do Mundo de 2007. Atuando no Rimini, time da primeira divisão da Itália, ele foi vice-campeão nacional neste ano.

“Beisebol italiano está em crescimento, mas o país está em crise. A liga já teve 12 times, agora tem sete. Aí e complicado, porque sempre gira em dinheiro, o salário está sendo menor. Tem muito jogador jogando na liga de baixo para trabalhar e jogar, ao invés de só jogar. O que é legal é que tem bastante equipe, desenvolvimento nas escolas, mas o que ajuda muito o incentivo ao esporte são os ótimos estádios. Todos os campos são gramados, há proteção e iluminação. Isso faz com que o cara que trabalha com isso ensine ou jogue. Isso faz com que o esporte cresça. Sempre esteja evoluindo.”

Trabalho da mídia ainda é fraco no Brasil

Na Itália, Luis disse que algo que ajuda a crescer o beisebol na Itália é a boa cobertura dos jornais locais. “É legal quando você pega o jornal e sempre sai o resultado dos jogos. Exemplo, a La Gazzetta dello Sport (maior da Itália), as vezes divulga os resultados. Nos regionais, sempre há essa cobertura, assim como estatísticas.”

Para ajudar a crescer o esporte no Brasil, Luis acredita que essa realidade precisa ser mudada para gerar mais incentivo e apoio. “As informações de todos os jogos precisa estar aberta para qualquer um.”

Ele acredita que isso ajudaria também a ida de jogadores para o beisebol estrangeiro. “É preciso ter um resumo do que o jogador faz, qual está sendo a média de rebatidas e tal. Isso também serve para ajudar os times de fora a contratar jogadores daqui. Se aquele jogador está rebatendo muito bem, o olheiro tem a ajuda do número para isso. Beisebol acaba sendo feito por número também. Por site ou impresso, a partir do momento que tenha esse tipo de informação, é outro meio para incentivar o esporte.”

No entanto, Luis afirma que há um trabalho que está sendo feito para mudar essa perspectiva. “Na Confederação, estão providenciando essa cobertura maior dos jogos e resultados, o que seria muito legal para o nosso beisebol.”

***

Com vasta experiência internacional, Luis é a personalidade certa que o beisebol brasileiro precisa ter para si. Com várias ideias e conhecimento de como desenvolver o esporte, poderia se encaixar muito bem em algum programa de auxílio e crescimento do beisebol no Brasil.

É de pessoas como Luis que o nosso país precisa para dar o próximo passo.

Sobre Vinícius Veiga

Graduando em jornalismo, fã das grandes ligas e especialista em beisebol e basquete, administro o Spinball Net - site sobre esportes americanos.

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Sindicato dos Comerciários inaugura salão de beleza na sede de Tatuí

FECOMERCIÁRIOS - Os trabalhadores do comércio de Tatuí ganharam um salão de beleza completo. O Espaço de Beleza dos Comerciários, instalado na sede de Tatuí (Rua XV de Novembro, 913), foi inaugurado no dia 19 de setembro pelo Sincomerciários.

Segundo o presidente do Sindicato, Marcelo Lúcio de Meira, o salão foi construído especialmente para atender a categoria comerciária com procedimentos mensais gratuitos, como corte de cabelo, manicure e pedicure, sobrancelha, hidratação, chapinha e escova.

O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 21h. Para ser atendido, o comerciário e a comerciária precisam agendar o horário na secretaria do Sindicato.

Motorista fica ferido após caminhonete capotar em Tatuí

Acidente aconteceu na Avenida Pompeu Reali, na Vila São Cristóvão.
Vítima conduzia a caminhonete, quando perdeu o controle do veículo.

Do G1 Itapetininga e Região

Um motorista ficou ferido após perder o controle do veículo que conduzia e capotar pela Avenida Pompeu Reali, Vila São Cristóvão, na noite desta terça-feira (27), em Tatuí.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, a vítima trafegava pela avenida em uma caminhonete, quando, por motivos desconhecidos, capotou. Uma Unidade de Resgate foi acionada por testemunhas que viram o acidente e o motorista foi levado até o pronto-socorro com ferimentos leves.
Motorista capotou próximo a valeta em avenida de Tatuí (Foto: Arquivo Pessoal/Flávio Camargo)

Mostra Téspis de Teatro recebe espetáculos da região

Evento terá participação de grupos independentes de Tatuí, Boituva e Quadra de 6 a 9 de outubro; oficinas serão ministradas pela SP Escola de Teatro



O Conservatório de Tatuí sedia de 6 a 9 de outubro a segunda edição da Mostra Téspis de Teatro. A ação, organizada pelo setor de artes cênicas da instituição, contará com oficinas técnicas e apresentações gratuitas de espetáculos de teatro de Tatuí, Boituva e Quadra.
Cia. Ímpares faz apresentação de “Mac(h)os”


Criada com objetivos de oferecer a ex-alunos e estudantes do setor de artes cênicas a troca de experiência na área, a Mostra Téspis enfoca a rotina de estudos, vivência com os profissionais atuantes no setor, na Cia. de Teatro, na SP Escola de Teatro e na continuidade de trabalho realizado pelos alunos formados pelo Conservatório de Tatuí.

Com o nome “Téspis”, a mostra realizada por seu segundo ano consecutivo faz homenagem àquele que é considerado o primeiro ator e dramaturgo da história do teatro ocidental. “É exatamente o que ocorre com a profissão de ator: o mesmo se forma para ser ator e acaba sendo produtor e, muitas vezes, ingressa em área técnica do espetáculo”, destacam Rogério Vianna e Fernanda Mendes, que assinam a coordenadoria do evento, em parceria com a SP Escola de Teatro e APAA (Associação Paulista de Amigos da Arte).

O premiado “Devaneios Poéticos em Cena de Agreste”
Neste ano, a Mostra Téspis terá apresentações de espetáculos de ex-alunos e de alunos do curso de artes cênicas, que criaram grupos independentes, aproximando as experiências, além de oficinas. Também contará com trabalhos realizados pela Cia. de Teatro do Conservatório de Tatuí, que foca neste ano a consciência do trabalho do ator e sua verdadeira função.

A Mostra de Teatro será aberta na próxima quinta-feira, 6, às 20h, no teatro Procópio Ferreira, com apresentação do espetáculo “O Apocalipse ou o Capeta de Caruaru”, texto de Aldomar Conrado a ser apresentado pela Cia de Teatro do Conservatório de Tatuí, com direção de Dalila Ribeiro e Rogério Vianna. O espetáculo inicia-se com a ação e o que era para ser um feitiço resvala em um grande equívoco no qual irmãos gêmeos são separados de suas mães. Diante do equívoco, é em Caruaru, cidade do interior de Pernambuco, que a maldição das bruxas vai atingir seu ápice. Anos depois, antes do reencontro, uma série de fatos estranhos e fantásticos provoca a maior confusão na população local, entre eles, uma morta que volta a vida, uma mulher que não para de crescer, outra que não para de engordar e um cavalo que nasce com cabeça de gente.

Aclamado, “Quem Casa Quer Casa” encerra Mostra
No elenco, estão Adriana Afonso, Carlos Alberto Agostinho, Catharina Boldt, Douglas Anhaya, Fernanda Mendes, Fernnanda Késia, Isabela Alomba, Jeferson Rodrigues, Lilian Dallava, Maiara Moreira, Matheus Mendes, Rodrigo Cotrim, Tamy Carvalho, Tati Villega, Vinícius Oliveira, Welinton Rodrigues, Wellison Machado, William Rocha e William Tarossi. Os figurinos são de Carlos Alberto Agostinho, com maquiagens de Edson Bráz/Lady Meteora, Tati Villega e Tamy Carvalho e trilha sonora e sonoplastia de Betinho Sodré e Fabiano Amâncio. Cenografia e adereços são de Jaime Pinheiro e Nathalie Abreu e costura de Maria José Silva.

Mais espetáculos – Após a abertura, outros cinco espetáculos, todos de grupos criados por profissionais formados pelo Conservatório de Tatuí, serão apresentados em dois locais diferentes: no teatro Procópio Ferreira (rua São Bento, 415) e na Sala Preta do Setor de Artes Cênicas (rua 15 de Novembro, 63/65).

Cadu Witter é um dos oficineiros convidados

Na sexta-feira, 7, às 18h, a Sala Preta do Setor de Artes Cênicas recebe o espetáculo “Sete Crianças Judias”, com texto de Caryl Churchill e montagem do Grupo de Teatro da Oficina de Artes de Boituva, sob direção de Nathalie Abreu. A peça é criada a partir de texto escrito em resposta a um bombardeamento ocorrido na Palestina, quando 1.417 palestinos foram mortos, dentre eles, 400 crianças. A peça de um único ato consiste em cenas de explicações da história de Israel e dos Judeus a “crianças” que nunca aparecem. No elenco estão Camily Luiza Vilela, Gabrielle Santos, Gustavo Teixeira de Almeida, Jeniffer de Souza Bertola, Maria Eduarda de Moraes e Ramon Mattos. O espetáculo tem figurino, maquiagem e adereços do Grupo de Teatro da Oficina de Artes de Boituva, coordenada por Clemilda de Santana Assumpção.

Elenco de Santa Joana do Samba (de Quadra-SP)
Também na sexta-feira, 7, às 20h, o teatro Procópio Ferreira recebe o espetáculo “Santa Joana do Samba”, produção da Cia 4 Cantos de Quadra, dirigida por Benemari Sulivan e com direção musical de Francisco Domingues. O espetáculo narra a história da donzela guerreira Joana d’Arc, menina/mulher que lutou pela França guiada por vozes do céu na guerra dos 100 anos (1337 – 1453) contra a Inglaterra. O foco da trama está na ousadia de Joana em discutir com as grandes instituições da sua época e a sua condenação a uma das fogueiras da “Santa” Inquisição. A montagem também aborda o arrependimento da Igreja, que pede desculpas e a proclama Santa Padroeira da França.

No elenco, estão Brenda Camargo, Giulia Barros, Liriel Soares, Helen Eduarda, Luiza Mascarenhas, Vitória Luciana, Gabriela Silva, Maxiniele Lopes, Gabriel Lobo, Allan Vieira, Nicole Vaz e Jennifer Chagas. A pesquisa musical é do grupo Samba Caipira (João do Ditão, Preto e Liriel), assistência de produção de Karina Soares e iluminação de Victor Dias Camargo.

No sábado, 8, outros dois espetáculos serão apresentados. Às 18h, a Sala Preta recebe “Mac(H)os”, da Cia Ímpares, com pesquisa, direção, concepção e dramaturgia de André Kaires. O espetáculo, com classificação de 16 anos, trata da denominada “crise da representação masculina” e da “chuva” imensa de esperanças acesas e poesias latentes de ser homem. “Após um ano de pesquisas acerca de, e de intervenções performativas, cheguei numa poética artística de espetáculo para essa temática tão complexa e ambígua e latente”, afirma Kaires, que divide a trilha sonora com Rivaldo Nogueira. A operação de som é de Rodrigo Cotrim, com operação de áudio de Fabiano Amâncio e fotos de Washington Domingues.

Já às 20h, o teatro Procópio Ferreira recebe o premiado “Devaneios Poéticos em Cenas de Agreste”, com texto de Newton Moreno adaptado e dirigido por Rose Tureck e montagem do Grupo de Pesquisa em Cena. O espetáculo narra a história de um casal de lavradores que descobre o amor e atravessa o nordeste para vivê-lo. O encontro amoroso é feito de silêncio e medo, até a morte do marido. Sofrendo pela perda, sem entender a dimensão de seus atos, a esposa sente na pele as consequências da intolerância do povo daquela vila que os acolhera. Escrita por Newton Moreno, a peça retrata o amor incondicional entre duas pessoas e por consequência o ódio de uma sociedade intransigente e preconceituosa.

No elenco, estão Claudio Teles, Jeferson Rodrigues, Maria Carolina Taddei, Mira Ribeiro, Nicoli Costa, Rodrigo Vieira, William Rocha, Vinicius Oliveira, Jú Assis, Leticia Mota e Rafaele Breves, além dos músicos Lala Nelly, Wender Campi e Nando Colina. O espetáculo tem direção musical e preparação vocal de Lala Nelly, maquiagem de Rodrigo Vieira e Nicoli Silva e contrarregragem de Mateus Kapella.

O encerramento da Mostra Téspis será no domingo, no teatro Procópio Ferreira, às 18h, com o espetáculo “Quem Casa Quer Casa”, com texto de Tatiana Belink, montagem do Grupo Garagem & Cia e direção e adaptação de Paulinha Flash, que também assina os figurinos. A história gira em torno de Lelé, uma lesma que vive à procura de um marido. Durante sua caminhada matinal, encontra-se com Mujim, um caramujo galanteador, conquista Lelé propondo casamento, prometendo o título de Dona de Casa. Porém eles não imaginavam que Lelé por ser roliça e gorducha não passaria pela porta da casa de Mujim. Através desse conflito a história se desenvolve envolvendo vários outros personagens, como o Macaco, a Onça, a Coelha, a Girafa, o Leão e o Lesmundo que aparece para compor o universo escrito por Tatiana Belinky, que de uma forma simples trata de assuntos como feminismo e machismo.

No elenco, estão Cesar Santo, Anamara Morais, Rafael Simões, Marcelo Ferraz, Lucas Miranda, Raissa Matos, Rick Ribeiro e Rafael Franco, além dos músicos Magali Ribeiro, Rodrigo Braga, Victor Lobo e Paulinha Flash. A sonoplastia é de Magali Ribeiro, Rodrigo Braga, Victor Moura e Paulinha Flash; sonoplastia de Mat Kaytan; maquiagem de Flávio Santos; operação de luz, de Nilce Rodrigues; cenografia e adereços do grupo; contrarregragem de Kaique Kabral e Diego Figueredo e produção executiva de Robson Carriel.

Inscrições para oficinas – Além da série de espetáculos, a Mostra Téspis de Teatro contará com três oficinas gratuitas, realizadas em parceria com a SP Escola de Teatro. As aulas serão ministradas de 6 a 9 de outubro, das 9h às 12h e das 14h às 17h, na Sala Preta do Setor de Artes Cênicas.
Das 9h às 12h, serão ministradas as oficinas de “Introdução às máscaras cômicas com enfoque ao jogo do palhaço (Clown)”, sob orientação de Dani Biancardi, e “Direção e Interpretação nas artes cênicas: circo”, sob orientação de Cadu Witter.
Das 14h às 17h, será ministrada a oficina de “Administração, Produção e Leis de Incentivo ”, sob orientação de Annelise Godoy.
As oficinas são abertas a qualquer interessado e as inscrições devem ser feitas até a segunda-feira, dia 3, no site conservatoriodetatui.org.br/tespis. Terão confirmadas as participações os 25 primeiros inscritos. No site também é possível obter mais informações sobre as oficinas e os oficineiros. Haverá emissão de certificados aos participantes.

Apoio Cultural – No ano de 2016, o Conservatório de Tatuí orgulha-se em receber apoio cultural da Coop e CCR SPVias.

SERVIÇO
II Mostra Téspis de Teatro
Fernanda Mendes e Rogério Vianna, coordenação
Quando: 6 a 9 de outubro – às 18h e 20h
Locais: Teatro Procópio Ferreira – Rua São Bento, 415; e Sala Preta do Setor de Artes Cênicas – Rua 15 de Novembro, 63/65 - Grátis!
Informações: 15 32058444 ou conservatoriodetatui.org.br

Recital de canto lírico é atração gratuita no Conservatório de Tatuí

Apresentação será nesta quinta-feira, 29, no teatro Procópio Ferreira



O Conservatório de Tatuí sedia nesta quinta-feira, 29, nova edição do “Gala Lírica”, recital de canto lírico. A apresentação terá entrada franca a partir das 20h, no teatro Procópio Ferreira (rua São Bento, 415). O recital terá orientação do professor Marcos Nascimento e coordenação de Cristine Bello Guse.

No recital, apresentam-se os alunos Cristiane Hashizume, Danielle Briguente, Esli Torres, Fabio Silva, Ivanir Sebastião da Silva, José Vitor Amaral Gurgel, Juliana Placco, Luís Antonio Ferreira, Maristela Nicollelis, Merlise Souza, Morgana Kurmann, Paulo Lanine, Rosângela Dória e Viviane Santana. Eles serão acompanhados ao piano pelos pianistas Dayane Rodrigues, Guilherme Frazatto e Francine Dias.

No repertório a ser apresentado, estão obras de F. Mignone (“Teu Nome”), G. Faurè (“Clair de Lune”, “Tristesse” e “Une sainte em son aureole”), W. A. Mozart (“Padre Germani, addio”, “Una donna quindici anni” e “Donne miei, la fate a tanti”), R. I. Gordon (“Fewer Word”), G. Gershwin (“By Strauss” e “Someone to wacht over me”), Richard Rodgers (“My favourites things”), G. F. Handel (“Confort ye… Ev’ry valley shall be exalted”), G. Rossini (“Ecco ridente in ciel”), G. Puccini (“Quando me’n vo’”), J. S. Bach (“Dein Geburtag ist erschienen”), F. Schubert (“Erlafsee”), R. Schumann (“Widmung”), J. Brahms (“Sonntag”), J. Dowland (“Come Again”), L. van Beethoven (“Die Ehre Gottes”) e C. Willibald von Gluck (“Spiagge Amate”).

Sobre o Conservatório de Tatuí – O Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos de Campos de Tatuí é uma instituição do Governo do Estado de São Paulo e Secretaria da Cultura do Estado administrado pela Associação de Amigos do Conservatório de Tatuí. Fundado em 1951, é uma das mais importantes ações na área de cultura no país. Oferece formação profissional em música, luteria e artes cênicas. Sua única extensão fora do município de origem é o Polo do Conservatório de Tatuí em São José do Rio Pardo.

Apoio Cultural – No ano de 2016, o Conservatório de Tatuí orgulha-se em receber apoio cultural da Coop e CCR SPVias.

SERVIÇO
Recital Gala Lírica
Cristine Bello Guse, coordenação
Quando: 29 de setembro, quinta-feira, 20h00
Local: Teatro Procópio Ferreira – Rua São Bento, 415
Entrada franca
Informações: 15 32058444 ou conservatoriodetatui.org.br

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Prefeitura inaugurou espaço de pratica esportiva na Avenida das Mangueiras

Local ganhou pista de caminhada, academia ao ar livre e novo playground

A Avenida das Mangueiras é conhecida pelos tatuianos como local de encontro para a prática de exercícios físicos já há algumas décadas. Agora ela ganhou uma nova configuração.  A inauguração aconteceu na última sexta-feira, 23.

A Prefeitura realizou, em parceria com a iniciativa privada, uma pista para caminhada com percurso total de 1.200 metros, com dois metros de largura. A novidade é que a estrutura está localizada no centro da avenida e não mais junto às calçadas e ao meio-fio. Nas travessias entre as ruas que cruzam a avenida, foi implantada faixa elevada para maior segurança das pessoas. 

O local também recebeu uma academia de ginástica ao ar livre, bancos, bebedouro, nova iluminação, jardinagem e um playground para a alegria das crianças. “Queremos proporcionar maior segurança para a população, em especial para os idosos, que praticam suas de atividades físicas diárias na avenida. Pedimos a colaboração da população na conservação do espaço para que toda família possa usufruir da melhor forma”, argumenta o diretor de Esporte, Lazer e Juventude, Douglas Dalmatti.

O projeto tem como parceiros a Grandino Artefatos de Cimento, que doou os blocos que fazem parte do piso, e a Sibrape Soluções que doou máquinas e equipamentos para abertura das canaletas. Os demais recursos e a mão de obra foram da própria Prefeitura.

Creche do Inocoop será inaugurada nesta quarta-feira


Inscrições para a 'II Mostra Téspis de Teatro' estão abertas em Tatuí

Inscrições devem ser feitas no site do Conservatório de Tatuí.
Evento vai acontecer nos dias 6, 7, 8 e 9 de outubro. Entrada é gratuita.

Do G1 Itapetininga e Região

Teatro Procópio Ferreira recebe II Mostra Téspis no Conservatório de Tatuí (Foto: Divulgação)
As inscrições para a segunda edição da Mostra Téspis de Teatro estão abertas e devem ser feitas até o dia 3 de outubro no site do Conservatório de Tatuí. O evento, organizado pelo setor de artes cênicas da instituição, acontecerá entre os dias 6 e 9 de outubro e contará com oficinas técnicas e apresentações gratuitas de espetáculos de grupos das cidades de Boituva (SP) e Quadra (SP).
Com o nome "Téspis", o evento faz homenagem àquele que é considerado o primeiro ator e dramaturgo da história do teatro ocidental. Durante a mostra, serão feitas apresentações de ex-alunos e de alunos do curso de artes cênicas, que criaram grupos independentes.

Além da série de espetáculos, haverá três oficinas. As aulas serão ministradas durante os três dias de evento, das 9h às 12h e das 14h às 17h, na Sala Preta do Setor de Artes Cênicas. São 25 vagas abertas e haverá emissão de certificados aos participantes.

A mostra ocorre no Teatro Procópio Ferreira – na Rua São Bento, 415 – e na Sala Preta do Setor de Artes Cênicas – na Rua 15 de Novembro, 63. Mais informações pelo (15) 3205-8444.

Recital de canto lírico é atração no Conservatório de Tatuí

Evento é nesta quinta-feira (29), às 20h, no Teatro Procópio Ferreira.
Entrada gratuita; repertório tem obras de Mozart, Bach e Beethoven.


Do G1 Itapetininga e Região

O Conservatório de Tatuí recebe o recital de canto lírico “Gala Lírica” nesta quinta-feira (29). O evento começa a partir das 20h no Teatro Procópio Ferreira. A entrada é gratuita.

A atração terá a orientação do professor Marcos Nascimento e coordenação de Cristine Bello Guse. No repertório, estão previstas obras clássicas de músicos eruditos, como Mozart, Schubert, Bach e Beethoven.

Para os interessados, o teatro está localizado na Rua São Bento, 415, no Centro. Mais informações no site da instituição ou pelo (15) 3205-8444.

O desmonte do renomado Conservatório Musical de Tatuí, reconhecido no exterior, mas não no Brasil


Foto: Studio 90
INTERSINDICAL - O Conservatório Dramát