Nosso Jornal Online

Tatuí, 

PUBLICIDADE

ANUNCIE AQUI

Peça já seu orçamento
e-mail para publicidade@diariodetatui.com

terça-feira, 8 de março de 2016

Secretaria de Estado da Saúde atrasa entrega de medicamentos de alto custo para Tatuí

Prefeitura de Tatuí – Evandro Ananias
Mais de 40 itens estão em falta – Apenas 29, de 70 tipos de remédio, foram entregues regularmente

Mais de 40 medicamentos de alto custo fornecidos pelo Governo do Estado não estão sendo entregues. A informação é da Assistência Farmacêutica, que faz a distribuição dos remédios em Tatuí. O problema não é exclusivo do município e já afeta centenas de cidades paulistas, como São Paulo, Mogi das Cruzes, Piracicaba, Campinas e São José dos Campos.

Os medicamentos fazem parte do programa Medicamentos Excepcionais, conhecido como “Alto Custo”. A lista inclui drogas usadas para diferentes tipos de doença, como colesterol, asma, doenças pulmonares, catarata, osteoporose. Cerca de 1.800 pacientes estão cadastrados no programa. 

De acordo com o secretário da Saúde, Umberto Fanganiello Filho, Tuta, o município vem cobrando a Diretoria Regional de Saúde e a própria Secretaria do Estado, para que a distribuição seja regularizada. “Nós estamos do lado dos pacientes, não é possível que um programa dessa amplitude seja interrompido. A Prefeitura assume responsabilidades e gastos que competem ao Estado e mesmo assim não dispõe de recursos suficientes para atender todo esse volume de pessoas”, desabafa. 

Dos 70 medicamentos que são entregues pelo programa, apenas 29 itens foram disponibilizados para entrega. Alguns estão em atraso há mais de três meses. Leites especiais também estão em falta. Assim como as insulinas especiais que não são padronizadas pela rede pública de saúde. “Também recorremos ao Governo do Estado, pedindo auxílio na entrega das insulinas especiais, como a Lantus, e recebemos como retorno um telegrama dizendo que a solicitação não poderia ser atendida e, ainda, que deveríamos pedir aos médicos que encontrem outras alternativas de tratamento com os medicamentos disponíveis”, esclarece Tuta, que completa: “hoje as insulinas padrão, NPH e Regular, estão disponíveis em todos os postos de saúde da cidade e também através da Rede Farmácia Popular", programa do Governo Federal. 

Os medicamentos excepcionais são, geralmente, de uso contínuo e de alto custo. São usados no tratamento de doenças crônicas e raras. Os medicamentos são adquiridos pelas Secretarias Estaduais de Saúde, com recursos repassados pelo Ministério da Saúde, e repassados às Prefeituras. 

Medicamentos em atraso / A lista de remédios em atraso tem: Amantadina; Aripiprazol 20mg; Atorvastatina 10mg; Atorvastina 40mg; Bezafibrato 200mg; Brimonidina; Calcipotriol pomada 50mcg; Calcitriol 0,25mcg; Ciprofibrato 100mg; Clobazan 10mg; Codeina 60mg; Donepezila 10mg, Dorzolamida; Formoterol + Budesonida 12/400; Formoterol + Budesonilda 6/200; Fórmula Hidrolisado Proteico/Pregomin; Fórmula Proteica Soja/Aptamil; Gabapentina 400mg; Genfibrozila 600mg; Hidroxicloroquina; Hidróxido de Ferro; Isotretinoina 10mg; Isotretinoina 20mg; Leuprorrelina 3,75; Mesalazina sup 1g; Mesalazina comprimido 400mg; Mesalazina comprimido 500mg; Mesalazina sup 500mg; Metrotexate 25mg injet; Octreotida lar 30; Pravastatina 20 mg, Quetiapina 300mg; Risedronato 35mg; Risperidona 2mg; Salmet + Fluticasona; Sulfassalazina 500mg; Teofilina; Timolol; Tiotropio; Topiramato 50 mg e Ziprasidona 80 mg.

Nenhum comentário:

Postar um comentário