Nosso Jornal Online

Tatuí, 

PUBLICIDADE

ANUNCIE AQUI

Peça já seu orçamento
e-mail para publicidade@diariodetatui.com

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Tatuí sofre com estragos causados pelo maior volume de chuvas de sua história

Comunicação Prefeitura de Tatuí – Evandro Ananias
217 milímetros em apenas quatro dias superaram as cheias registradas em 2007 e 1998 

Tatuí está em estado de alerta. O município sofre há praticamente uma semana com chuvas constantes, agravadas nos últimos quatro dias. Somente entre sábado e terça-feira, foram 217 milímetros. Só ontem, 108 milímetros, quantidade equivalente a 15 dias de chuvas. Os temporais causaram diversos estragos na cidade, começando já na segunda, quando fortes ventos comprometeram a estrutura de uma árvore centenária na Praça da Matriz, que precisou ser removida após uma operação conjunta de mais de 12 horas entre a Prefeitura e o Corpo de Bombeiros. 

A força e o volume das águas causaram também interdição de uma das pistas do Anel Viário, na integração com a Rodovia Antônio Romano Schincariol, SP-127 Temporariamente, o tráfego está liberado em apenas um sentido: da Estrada Moisés Martins (Jardim Lírio) à SP-127 (Guardian). Um deslizamento de terra acabou causando entupimento das galerias pluviais, que resultou no acúmulo de água na pista. A Secretaria de Infraestrutura já notificou a empresa responsável pela obra para que execute o serviço de limpeza no sistema de drenagem. O trabalho deve ser iniciado assim que as chuvas pararem. A expectativa para a liberação do trecho é de aproximadamente 10 dias, após o início das obras.

Para não comprometer o trabalho de recuperação e para proporcionar segurança a motoristas e pedestres, a ponte da Colina Verde, na rua Nhô Inácio Vieira, também foi interditada. Neste período os moradores devem utilizar exclusivamente a ponte principal na Rua Caridade Terceira. 

O estrago maior veio no final da tarde desta terça-feira, 12. Mais de 50 pessoas entre membros da Defesa Civil, Guarda Municipal, Bombeiros, Polícia Militar e servidores da Secretaria de Infraestrutura e do Departamento do Bem Estar Social se revezaram no trabalho que se arrastou durante toda a madrugada. Jovens da Igreja Universal do Reino de Deus ajudaram como voluntários no carregamento de móveis das vítimas que tiveram que ser retiradas de suas residências. O Grupo Pacaembu disponibilizou máquinas e equipamentos para ajudar no mutirão. A Hidrelétrica Santa Adélia ofereceu apoio com pessoal para a Defesa Civil. 

No Distrito da Americana, o aumento do volume de água dos rios Sarapuí, Tatuí e Sorocaba deixou dezenas de casas alagadas. O número de famílias que ficaram desalojadas, que foram removidas pela Prefeitura, já chega a 60. Elas foram levadas para casa de parentes e outras foram abrigadas temporariamente na escola municipal do bairro. Os móveis dos moradores foram recolhidos e levados para o prédio da Casa de Acolhimento.

O posto de saúde do bairro Mirandas precisou ser fechado. Um cano da Sabesp se rompeu durante a madrugada, deixando a unidade de saúde sem água. A empresa já foi acionada, mas devido à sobrecarga de trabalhos, ocasionada pelos estragos da chuva, ainda não há previsão para restabelecimento do fornecimento. Ainda na zona rural, desta vez no Congonhal, três idosos ficaram ilhados na ponte que dá acesso ao bairro. Parte do carro foi encoberto pela água do rio, que transbordou. O Corpo de Bombeiros resgatou os três, com auxílio de embarcação. Todos passam bem. 

No Jardim Thomás Guedes cinco famílias também precisaram sair de suas casas. Alguns estão na casa de parentes e outros foram levados para a antiga sede do Conselho Tutelar, no Vale da Lua.

A Rua Teófilo Andrade Gama ficou tomada pelas águas, gerando problema de tráfego. O muro da Escola Alan Alves de Araújo, no Jardim Santa Rita, não resistiu à força das águas e caiu. No Jardim Novo Horizonte, uma família foi resgatada em um sítio, também pelos bombeiros. Eles ficaram ilhados após os tanques existentes no local transbordarem. 

O Departamento de Bem Estar Social e Cidadania ainda trabalha no levantamento do número de famílias atingidas. “Todas já estão em locais seguros e estão recebendo todo apoio necessário como alimentos, roupas, fraldas e leite”, explicou o professor Márcio Fernandes de Oliveira, secretário da Indústria e Desenvolvimento Econômico e Social. 

O coordenador de Defesa Civil, João Batista Floriano, lembrou que essa é a maior chuva já registrada na história, superando duas grandes enchentes que aconteceram em 2007 e antes em 1998. O volume do Rio Tatuí subiu 6,80 metros, enquanto o Sorocaba já chega a 8 metros, com vazão de 410 metros cúbicos por segundo, ou seja, mais 4.100 litros de água por segundo chegam ao Rio. “Estamos em estado de alerta máximo, já que a previsão para os próximos dias é de chuva e em bastante quantidade, pelo menos até domingo”, disse. 

O prefeito Manu e o vice-prefeito Vicente Menezes, também secretário de Infraestrutura, acompanharam o trabalho pessoalmente durante toda a madrugada. Manu pediu que toda a população fique atenta, mas trouxe uma mensagem de conforto. “Gostaria de tranquilizar a todos. As chuvas de ontem castigaram boa parte do estado de São Paulo e Paraná. Muitos municípios da região estão sofrendo esse mesmo problema. Nossa equipe está mobilizada e trabalhando 24 horas para minimizar os estragos e para acolher as pessoas que precisam de auxílio nesse momento tão difícil. Felizmente não tivemos vítimas fatais. Quero agradecer mais uma vez ao apoio e a dedicação dos nossos funcionários, dos voluntários e ao apoio e compreensão da nossa população. Tenho confiança e fé em Deus que juntos venceremos mais esse desafio”, argumentou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário