Nosso Jornal Online

Tatuí, 

PUBLICIDADE

ANUNCIE AQUI

Peça já seu orçamento
e-mail para publicidade@diariodetatui.com

domingo, 17 de janeiro de 2016

Resenha: Symptomen – Into The Future (2014)

Exatamente por isso, “Into The Future”, álbum mais recente lançado pelos paulistas do Symptomen, é bom. O quarteto de Tatuí foi muito feliz ao entregar um álbum simples aos ouvidos, mas técnico e bem edificado musicalmente.

A banda ainda não consolidou expressão ao seu nome, e o disco sucessor do debut “Men Against Men” já vai para dois anos desde seu lançamento, que ocorreu de forma independente, mas isso não o torna menos interessante – e nem pode.

Iago Pedroso (vocal e guitarra), Tiago Floyd (guitarra), Manassés Procópio (baixo) e Ricardo Menezes (bateria) são responsáveis por um álbum de potente híbrido entre Heavy Metal e Thrash Metal tradicionais que trafega em uma avenida que vai de encontro a bandas como Death Angel e Enforcer. Gravado no estúdio local Studio 8 e muito bem produzido pelo próprio Iago, o registro apresenta uma musicalidade com molde aberto e acessível, muito fácil de gostar devido à atmosfera positiva e contagiante. Os riffs são pesados, mas demonstram uma natural tendência ao melódico. Aliados a um ritmo geralmente acelerado no melhor modelo Speed, lampejos progressivos brilham em determinados detalhes dos arranjos, cuja técnica é consolidada através das abundantes passagens de solos de guitarra, sempre espetaculares, velozes e convidativas.

Banda/divulgação
Quase toda banda ou disco tem seus defeitos, e aqui a quebra de clima é, de certa forma, o vocal de Iago Pedroso. O músico interpreta composições vocais de tonificação mais elevada, o que condiz com o sensitivo fundo melódico apresentado. Porém, sua voz não dota de muita potência, volume, nem é muito técnica… Contudo, apesar da chatice crítica de se atentar a esse detalhe, o resultado obtido é, no mínimo, satisfatório e atinge o objetivo. Só não é viçoso ou inspirador.

Ainda assim, Iago consegue dar vida a excelentes canções de refrões absolutamente marcantes – tenha certeza que emprego esse adjetivo com muita cautela –, frequentemente sustentados pelo acionamento dos backing vocals dos demais membros. Se duvida do quão grudentos são, veja só músicas como “Into The Future”, “2 Lives 2 Live”, “Heavy Metal In Blood” e a tranquila semiacústica “Goodbye”, que encerra o disco de maneira atípica e de fato em clima de despedida – trata-se de uma linda homenagem a falecidos amigos da banda.

Talvez o grupo não retenha uma identidade visual forte e pontos de instigante atração subconsciente para aqueles que não a conhecem, mas seu trabalho não deve ser subestimado, pois é sim muito bom e muito pegajoso. E o melhor de tudo é que é rápido: são apenas 41 minutos totais de duração distribuídos ao longo de 10 faixas. Longe de ser maçante!

Lista de faixas:
01 – Into The Future (05:10)
02 – 2 Lives 2 Live (03:25)
03 – About To Blow (03:32)
04 – Payback Time (03:57)
05 – The Eye of The Universe (05:35)
06 – Heavy Metal In Blood (04:33)
07 – The Game (04:12)
08 – Glory Night (01:05)
09 – Freedom War (04:48)
10 – Goodbye (05:00)

Formação:
Iago Pedroso (vocal e guitarra);
Tiago Floyd (guitarra);
Manassés Procópio (baixo);
Ricardo Menezes (bateria).

Nenhum comentário:

Postar um comentário