Nosso Jornal Online

Tatuí, 


sábado, 21 de dezembro de 2013

Arquitetura: Beatriz Meyer apresenta templo em Tatuí

VIDRO, MADEIRA E PEDRA UNIDOS EM SUTIL COMPOSIÇÃO

O pequeno templo é estruturado em oito pilares de madeira e tem cobertura com manta impermeabilizante apoiada sobre chapas de OSB. Os fechamentos são de vidro, com caixilhos também de madeira.

Assinada por Beatriz Meyer, a capela de aspecto simples e delicado é o terceiro trabalho da arquiteta neste sítio em Tatuí, SP - antes vieram a reforma da casa e a construção de um volume anexo para abrigar um escritório. Duas dessas obras lhe renderam láureas. Em 2005, a residência conquistou o primeiro lugar na premiação Planeta Casa; e a proposta da capela foi a terceira colocada na edição 2007 do Prêmio Jovens Arquitetos, promovido pelo IAB/SP. Em comum, as edificações apresentam estrutura de madeira certificada, proveniente de áreas de manejo sustentável, e buscam integração máxima com a paisagem.

O ponto escolhido para a implantação da capela situa-se em uma área plana, entre duas linhas de grandes pinheiros, que configuram uma moldura verde e determinam a atmosfera de paz e imersão na natureza. Para tirar partido desse contexto, a arquiteta idealizou um conjunto de extrema simplicidade, composto apenas por estrutura e cobertura de madeira cumaru e fechamento em vidro.

A estrutura é composta por pilares suspensos, que não tocam o piso nem as vigas, parecendo flutuar no espaço. “Eles estão ligados por conectores metálicos”, esclarece a arquiteta. O posicionamento dos pilares, paralelos às linhas de pinheiros, demarca caminhos laterais que conduzem ao altar. “Eu havia voltado de uma viagem ao Egito e repeti no projeto essa característica dos templos antigos”, detalha Beatriz. Toda a estrutura é independente dos caixilhos e não interfere com os amplos panos de vidro, que chegam a ter 3,60 metros de altura na parte mais elevada. Fabricados com cedro, esses caixilhos são pivotantes e abrem-se para fora, liberando espaço para circulação e para que pessoas em pé possam acompanhar os ritos religiosos.

A cobertura também parece flutuar sobre o templo e é caracterizada por amplos beirais, com balanços que chegam a três metros. Ela é constituída por manta impermeabilizante bastante esbelta, apoiada sobre chapas de OSB e forro de madeira, que mimetiza as vigas menores. Nos beirais, as vigas afinam nas extremidades, reforçando a idéia da leveza estrutural para quem visualiza o templo pelo lado externo. Sua inclinação acentuada dá certa imponência à entrada da capela e vai transformando-a em um espaço mais intimista e aconchegante à medida que avança em direção ao altar.

Erguida com pedra ferrugem, a parede de fundo tem estrutura independente. Ela é marcada pela cruz de posicionamento assimétrico, vazada na pedra e com fechamento em vidro pelo lado externo. Exceto pelo ponto de luz sobre o altar, todos os demais foram instalados no piso, de modo a valorizar o ritmo dos pilares. Internamente, o piso emprega assoalho de demolição, contrastando com o tijolinho de junta seca usado no calçamento externo. Os móveis também foram desenhados por Beatriz e os bancos em palhinha, que oferecem 24 lugares, foram inspirados em sofás de antigas fazendas.

Pela própria natureza da obra, a construção foi dividida em etapas independentes ao longo de três meses. A primeira fase abrangeu fundações e contrapiso, seguida pela execução da parede de pedra e pela montagem da estrutura, realizada em apenas dois dias. A seguir foram feitos o forro e a cobertura, e por fim veio a instalação dos caixilhos.


Ficha Técnica
Capela
Local Tatuí, SP
Início do projeto 2006
Conclusão da obra 2006
Área do terreno 10.000 m2
Área construída 70 m2
Arquitetura, interiores, luminotécnica e construção Beatriz Meyer
Estrutura Ita Construtora
Fundações Rodolfo Marino
Fotos Nelson Kon
Fornecedores


Fiamoncine (móveis e caixilhos)
JG (vidros)
Lavoro e Arte (assoalho de demolição)
Alwitra (cobertura)
Laboratório da Luz (iluminação)
Roque Lameu (mão-de-obra civil)
Texto de Nanci Corbioli|
Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 333















Nenhum comentário:

Postar um comentário